jump to navigation

A Remediação em foco março 31, 2007

Posted by eduardotrindade in Trabalhos Jornalismo Online.
add a comment

terra.jpgHá muito o que discutir sobre o assunto. De qualquer forma a apropriação de traços de um mídia para outro é uma das principais características da remediação. Tendo isto em mente, a principal intenção deste texto é exemplificar como podemos percebê-la no site do Terra.

São visíveis alguns dos processos de assimilação de linguagem, estilo e características de meios tradicionais, como o rádio e a TV, pela internet. O Terra TV é um exemplo claro de que as novas mídias coexistem, ou interagem, com as tradicionais.

Na verdade não há abandono dos meios antigos, apenas uma reciclagem dos mesmos em um novo meio que, apesar de apropriar-se de características de mídias já existentes, têm um funcionamento próprio e diferenciado.

No caso do Terra TV, a linguagem e algumas características da mídia TV foram incorporadas por um site, afim de transmitir mensagens audiovisuais, de sua própria maneira.

A diferença é justamente esta. Como mencionado acima, ao incorporar alguns destes traços da TV, o meio não abandona suas próprias características. Ao contrário, há um processo contínuo de reacomodação de forças, onde o internauta tem acesso a conteúdos com características de TV, mas apresentados dentro de uma lógica de seleção interativa, típica da internet.

tvterra1.jpg

De acordo com a importante contribuição de Marshall McLuhan, O Meio é a Mensagem, ou seja, o conteúdo de um meio é sempre outro meio. Toda mídia é um sistema em contínua mudança e a remediação auxilia na familiarização da nova mídia, recorrendo às linguagens já conhecidas das mídias anteriores.

Reciprocamente, as mídias tradicionais passaram a se apropriar das linguagens das novas mídias.

Interessante notarmos, ainda, que a estratégia dominante no Terra TV, assim como na web de forma geral, é a hipermediação onde o conteúdo, apesar de algumas características da TV, é fragmentado e “randômico”, sem começo, meio e fim claros.

Anúncios

Universidade de Oxford em POA! março 16, 2007

Posted by eduardotrindade in New Stuff.
2 comments

deville_porto_alegre.jpgO Departamento de Educação Continuada da Universidade de Oxford da Inglaterra, OUDCE, em parceria com o Departamento Editorial da mesma Universidade, OUP, lança no Brasil programa de capacitação de professores da Oxford Teacher’s Academy. O curso acontece em Porto Alegre nos dias 22, 23 e 24 de março no Hotel Deville Aeroporto.

O primeiro programa original de treinamento da Oxford Teacher’s Academy, com duração de 15 horas, está sendo lançado no Brasil com o nome de Programa de Desenvolvimento Profissional para Professores de Língua Inglesa. O curso cobre, durante os três dias de trabalho, as bases metodológicas para o ensino da Língua Inglesa, fornecendo aos participantes idéias práticas e criativas para uso em sala de aula

Todos os programas de treinamento da Academia Oxford são autorizados e credenciados pela Universidade de Oxford. Após a confirmação da aprendizagem, através de atividades práticas e da presença integral e participativa no programa de desenvolvimento profissional, os professores recebem o certificado do departamento de Educação Continuada da Universidade de Oxford.

oxford1.gif

Disponível apenas como benefício aos professores de instituições que utilizam materiais didáticos da Oxford University Press, o curso é gratuito. Contudo, dada a restrição de vagas (apenas duas turmas de 35 professores para o Estado do Rio Grande do Sul), alguns requisitos são observados para a inscrição e participação dos professores, usuários Oxford, das mais diversas instituições de ensino privado, regular ou de línguas do Estado.

Matrix, Djs e Cibercultura março 16, 2007

Posted by eduardotrindade in Trabalhos Jornalismo Online.
add a comment

Vários são os exemplos da presença do conceito de cibercultura no cinema. De toda forma, optamos por mencionar aqui aquele que traz algumas contradições de acordo com estudiosos do tema.

matrix.jpg A cibercultura em Matrix é uma paródia do cotidiano, onde a ficção fala do presente com componentes do imaginário tecnológico contemporâneo. O controle, redes telemáticas mantendo o ser humano na ilusão de realidade e o undeground retratado pelos hackers.

O filme apresenta personagens e temas relativos à ficção-científica cyberpunk, além de tratar de questões referentes às redes telemáticas, ao virtual e às ações dos hackers e ao controle do ser humano pelas tecnologias. Todos estes são temas da cibercultura. 

Segundo Jean Baudrillard, entretanto, o filme não passa de um simulacro da virtualidade. Para Baudrillard o filme é óbvio e se perde em uma mera oposição virtual-real.

A discussão pode ser longa, mas se considerarmos o conceito de cibercultura, por Pierre Lévy, a realidade virtual de matrix, anulando a realidade não virtual, não pode ser considerada um exemplo de cibercultura. Para Levy, os modos de relação, o conhecimento e a aprendizagem da cibercultura não paralisam ou anulam os já existentes. Ao invés disso, os ampliam e os tornam mais complexos.

Na música, como diz Pierre Lévy em seu livro Cibercultura, a música tecno é que melhor sintetiza a cultura tecnológica pós-moderna. As músicas produzidas por DJ são espalhadas rapidamente pelo mundo através do ciberespaço.

Qualquer pessoa, em qualquer canto do mundo, pode montar um homestudio, por exemplo, e com alguns equipamentos digitais transformar o que até então seria a música gravada original. A música tecno é nada mais que um reordenamento dos sons da música original.

Hoje, os DJs mais famosos do mundo, como Tiesto, Sasha, ou Carl Cox, produzem digitalmente músicas que serão ouvidas no mundo inteiro através do ciberespaço. A cibercultura na música se exemplifica ainda com a proliferação das festas Raves e com a formação de tribos de ravers que como referencial comum tem o gosto pela música eletrônica e o uso de tecnologias contemporâneas.

Perfil e Expectativa março 2, 2007

Posted by eduardotrindade in Trabalhos Jornalismo Online.
1 comment so far

Buenas, sou o Luís Eduardo Trindade, mas prefiro ser chamado apenas Eduardo Trindade. Tenho 32 anos e há 14 trabalho com o Ensino da Língua Inglesa. Em 2002, comecei, devido à experiência de sala de aula, a trabalhar como consultor de línguas para uma editora internacional (Richmond Publishing).

banner_1b1.jpg

Em seguida, no ano de 2003, a Oxford University Press me convidou para fazer parte de seu staff no Rio Grande do Sul como consultor de inglês, ministrando palestras e treinamentos para os professores usuários de nossos mais variados métodos de ensino. Hoje, além da consultoria, sou o responsável pelo gerenciamento das atividades do núcleo da Oxford University Press no Rio Grande do Sul.

Tenho ótimas expectativas com relação à disciplina de Jornalismo Online, até porque posso realmente fazer uso das técnicas que aprenderemos na disciplina para minha prática diária. Em suma espero ter um semestre proveitoso e ao mesmo tempo divertido, por estarmos trabalhando com um tipo de mídia que me agrada bastante.

Ah, mais um detalhe: Sou TRICOLOR e lamento informar-te que em dezembro de 2007 é o glorioso GRÊMIO quem será o Campeão do Mundo Fifa. Desta vez nós estamos lá. Pode esperar!!