jump to navigation

As escolhas de Paulo Autuori agosto 18, 2009

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
trackback

Desculpem a ausência. Acabei ficando uma semana sem publicar e perdendo de comentar algumas coisas basntante interessantes. Confesso que a derrota do Tricolor para o Barueri, principalmente depois do bom empate no Palestra Itália contra o líder Palmeiras, foi uma surpresa e tanto.

Mas além desta derrota na semana passada, que deixou o Grêmio sem vitória fora de casa no primeiro turno, alguns acontecimentos deste último final de semana no Tricolor merecem destaque.

A lateral esquerda

Não consigo entender o que acontece entre o técnico Paulo Autuori e o lateral esquerdo Jadílson. Comentei em meu último posto que a lesão de Fábio Santos daria a ele o que deveria ser de direito. Afinal tem um perfil de lateral mais ofensivo, o que para o Grêmio, jogando com 4 zagueiros – 2 centrais nas posições de zagueiro mesmo, mais um como volante (Réver) e outro como lateral (direito) – é o mais adequado para não retrancar o time e matar a jogada aguda pela lateral.

No jogo contra o Flamengo, por exemplo, o primeiro gol saiu dos pés dele para o cabeceio de Perea. Claro que, com Jadílson subindo, o lado esquerdo precisa de cobertura. Foi justamente o que faltou e as jogadas mais perigosas do Flamengo, exceto a do gol que veio pelo lado direito defensivo do Grêmio, ocorreram pelo lado esquerdo, às costas do lateral.

Só que, ao invés de corrigir o posicionamento do “volante-zagueiro” Réver ou de um dos zagueiros para cobrir o lateral quando este sobe, o técnico Paulo Autuori preferiu tirar Jadílson para colocar o jovem Bruno Collaço. Que também é um bom lateral esquerdo. Pelo menos parece ser melhor que Fábio Santos.

Mas não posso concordar com a atitude do técnico, que com a substituição no intervalo e a já confirmação da manutenção de Bruno na titularidade até o retorno de Fábio, acabou transferindo para Jadilson toda a culpa pelos espaços  nos contra-ataques do Flamengo pelo lado esquerdo do Grêmio. Não é justo para quem precisa de pelo menos um lateral ofensivo. Agora, novamente, o atleta não passará do banco e deverá mesmo deixar o clube em breve. Com toda a razão.

A lateral direita

Não acho que Mário Fernandes seja ruim, mas é mais zagueiro que lateral cruzador, por exemplo. Além disso Joílson entra sempre muito melhor que o jovem das categorias de base. É uma insistência de Autuori improvisar zagueiros de origem na lateral. Antes de Mário era o Thiego, este último muito fraco na posição.

Enquanto isso, o ex-são paulino Joílson segue esquentando o banco para estes garotos cumprirem funções claramente mais defensivas na mesma lateral que um dia já teve Arce. E o paraguaio é um excelente exemplo dos tempos em que o técnico gremista (na ocasião Luiz Felipe Scolari) acreditava no poder ofensivo dos laterais.

Vale o raciocíno utilizado no comentário sobre a lateral esquerda. Ou seja, se de um lado a opção é por alguém mais defensivo, como Fábio Santos ou Bruno Collaço, o outro lado deveria vir com alguém de vocação mais ofensiva, como Joílson e não os zagueiros improvisados copiando a idéia do Inter com Bolivar.

O meio campo

Também incompreensível que, jogando em casa, o técnico opte por jogar com três volantes, sendo que o primeiro é de fato zagueiro. Isso mesmo tendo um outro defensor na lateral direita e com Maylson no banco.

Tudo bem que Souza e Tcheco estavam fora contra o Flamengo, mas na minha opinião, o time estaria muito melhor escalado da seguinte forma: Victor, Joílson, Réver, Leo e Jadílson; Túlio, Adilson, Maylson e Douglas Costa, Jonas e Perea.

As escolhas de Autuori dão até margem para piadas sem graça. Como uma que recentemente ouvi que diz que o problema é que o técnico gremista tem medo de confundir os muitos “ilsons” do time, Jadílson, Joílson, Maylson, e opta por deixar apenas o Adilson como titular. Curiosamente, para mim, o mais fraquinho dos “ilsons” do Grêmio.

Maxi López

Espero que a direção acorde e mantenha, custe o que custar, o melhor centrovante que o Grêmio teve nos últimos tempos. Arrisco a dizer que desde Jardel o Tricolor não tem um matador da estirpe de Maxi. Ainda sonho em ver o time titular jogando com Perea (17 gols ano passado sem bater nenhum pênalti) e Maxi López.

Não precisamos gastar dinheiro no Leandro. Utilizem esta verba para ajudar a manter o argentino que é a cara do Grêmio. Espero que alguém na cúpula gremista seja suficientemente esperto para ver que o mercado não dispõe de um atacante do nível do atual camisa 9 gremista.

O mesmo vale para o goleiro de ouro, Victor. Louco aquele que pensar, ainda que por um breve instante, em vender o arqueiro que pode finalmente substituir o posto de Danrlei no gol e nas graças da torcida Tricolor.

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: