jump to navigation

O custo da Copa do Mundo no Brasil junho 29, 2011

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , ,
6 comments

O superfaturamento de obras no Brasil não é novidade para ninguém. Portanto, seria fácil deduzir que montanhas de dinheiro seriam envolvidas nas obras para a Copa do Mundo 2014 no país.

Até aí, apesar de revoltante, nada de novo. Mas quando acho que não podemos mais nos surpreender com os abusos e artimanhas políticas para enriquecimentos ilícitos de todos os tipos com obras superfaturadas, me deparo com a notícia lamentável que vi hoje no UOL Esporte.

Segundo a matéria, o custo da Copa do Mundo no Brasil será bem maior que o total das últimas três Copas somadas. Enquanto as três últimas edições (Japão/Coreia, Alemanha e África do Sul) custaram cerca de 30 bilhões de Dólares juntas, os levantamentos atuais dos gastos no Brasil já batem na casa dos 40 bilhões de Dólares.

Não é possível que o Brasil tenha que gastar tanto para sediar o evento. Por mais benefícios que uma competição com esta possa trazer ao país, nada justifica investimentos da ordem dos 40 bilhões de Dólares enquanto milhões de brasileiros não tem o que comer nem onde dormir.

O que revolta ainda mais, é que o levantamento que aponta este custo é apenas uma estimativa que, normalmente, ao final das obras costuma sofrer aumentos consideráveis. No caso do Pan- Americano 2007 no Rio, por exemplo, os custos finais com as obras foram cerca de 10 vezes maiores que a estimativa inicial.

Para termos uma ideia do tamanho do abuso, se os custos finais com a Copa do Mundo 2014 forem duas vezes maiores que a estimativa, teremos que conviver com a vergonha de ter gasto mais do que o total de TODAS as Copas do Mundo somadas. Segundo a matéria do UOL, o somatório do custo de todas as Copas realizadas até hoje gira em torno de 75 bilhões de Dólares.

Sei que muitos não concordam, por vários motivos, mas o melhor para o Brasil, diante do atual cenário, seria que a Fifa voltasse atrás o quanto antes e tirasse o Brasil da condição de sede para 2014.

Afinal, este custo quem paga somos nós, brasileiros que, na maioria, não ganham absolutamente nada com a realização da Copa do Mundo aqui e ainda deixam de ver toda essa fortuna investida em saúde e educação, por exemplo. Lamentável.

O novo técnico da Seleção julho 5, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , ,
add a comment

Após a desclassificação brasileira na Copa do Mundo da África do Sul, a CBF já começou a limpeza. A comissão técnica foi toda destituída ontem e as especulações sobre o novo técnico da Seleção Brasileira já começaram.

Como o escolhido possivelmente seja (a menos que cometa atrocidades no meio do caminho) o comandante brasileiro na Copa do Mundo do Brasil, em 2014, a escolha não pode ser feita como a que colocou o inexperiente Dunga no comando da Canarinho.

Os nomes de Mano Menezes, Felipão e Ricardo Gomes circulam como possibilidades, entre outros. Dentre todos, minha preferência seria, obviamente, Luiz Felipe Scolari, mas como já fechou contrato recentemente com o Palmeiras, aposto mais fichas em Mano Menezes.

É experiente, tem bom currículo e perfil mais adequado à posição que bons técnicos como Muricy, por exemplo. Além disso, Mano conta com o loby forte de Andrés Sanchez, presidente do Corinthians que viajou à África do Sul como chefe da delegação da CBF e falou muito bem do atual treinador do Corinthians para Ricardo Teixeira.

E você, em quem aposta para o comando da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil?

Dunga, nunca mais!! julho 3, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Não foi por falta de aviso. O Brasil inteiro alertou que faltaria qualidade para momentos decisivos no grupo do Dunga. Nunca me senti confortável tendo que chamar aquele grupo de Seleção Brasileira. Está muito mais para seleção do Dunga.

Um grupo repleto de volantes, com apenas um meia ofensivo (que não vingou) e um centroavante que não chega aos pés dos grandes Romário e Ronaldo, apenas para citar os dois goleadores dos títulos mais recentes. Não tinha mesmo como ir muito longe.

Mas Dunga nunca pensou assim. Achou que recheando a Seleção com jogadores do setor defensivo do meio-campo (como ele) poderia conter os avanços dos mais faceiros e trabalhar nos contra-ataques. Esqueceu que no Brasil a Seleção tem que jogar pra frente. Está em noss DNA futebolístico.

Não adianta querer mudar toda a história e estilo do nosso futebol, apenas porque em 1994 o retrancão deu certo. O Brasil sempre será lembrado por seu futebol ofensivo, irreverente, com jogadas agudas de ataque que assustam qualquer adversário.

Basta ver que o grupo da Copa de 1982, na Espanha, mesmo tendo sido desclassificado pela Itália antes da hora, é mencionado até hoje nas rodas de futebol como uma das melhores Seleções Brasileiras de todos os tempos. Porque perdeu mostrando qualidade. Jogando pra frente.

Quem viu aquele jogaço entre Brasil e Itália, em que o italiano Paolo Rossi foi espetacular e acabou sepultando os sonhos brasileiros, sabe do que estou falando. Os que não viram podem pesquisar e vão constatar a mesma coisa.

Aliás, justiça seja feita, mesmo em 94 o grupo em que o atual técnico jogava tinha jogadores excepcionais como Taffarel, Romário e Bebeto, por exemplo.

Ontem o Brasil que vi não era o mesmo que conhecemos historicamente. Claro que era visível que todos queriam muito o título e deram seus máximos na partida para tentar reverter até o minuto final. Mas a questão não era vontade, e sim a falta de qualidade nas peças de reposição do elenco.

Tanto que Dunga acabou não fazendo uso das três substituições, mesmo tendo que empatar a partida. Tudo porque ao olhar para o banco, não encontrou possibilidades como Ganso, Ronaldinho Gaúcho, Neymar, Pato, Anderson, Hernanes (apenas alguns exemplos). O técnico brasileiro morreu com suas próprias convicções.

Elano, por exemplo, é um excelente jogador, mas é segundo volante. Assim joga na Europa. Só com Dunga ele vira o terceiro homem de meio-campo. Felipe Melo é um despreparado. Era a crônica de uma morte anunciada. Só o treinador brasileiro não quis ver antes. Provou da pior forma.

Analisando individualmente os setores onde faltou qualidade, não tenho medo de afirmar que o meio da Seleção foi o principal problema. O setor deveria ter sido formado como pede o Brasil por seu DNA: Gilberto Silva, Elano, Ganso e Kaká (Ronaldinho Gaúcho, Anderson, Hernanes como opções).

No ataque, Neymar ou Pato seriam boas alternativas para entrar aos 20 do segundo tempo em um jogo como ontem. Prefiro não comentar a lateral esquerda. Com Fábio Aurélio jogando um bolão, ver Michel Bastos com a 6 é sacanagem.

Mas o teimoso preferiu abrir guerra à midia e continuou ignorando o óbvio: com este grupo o Brasil jamais seria hexa. Nada disso é novidade, Dunga. 

Bueno, o que me deixa feliz é saber que o turrão deve deixar o cargo nos próximos dias e, desta vez, acho que a CBF não fará novas apostas em ex-jogadores que nunca treinaram clube algum. Aposto em nomes como Mano Menezes ou Muricy. O Felipão, se não tivesse acertado com o Palmeiras, seria a escolha perfeita para a Copa do Mundo 2014, que será no Brasil.

O fato é que, apesar da desclassificação, pelo menos uma coisa me deixa feliz: Dunga, nunca mais!!

As quartas de final da Copa junho 30, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

A Copa do Mundo da África do Sul já apresenta suas marcas. Aquelas que entrarão para a história espetacular das Copas do Mundo. Umas boas, outras nem tanto. Destaco, neste post, uma positiva (pelo menos para nós, sul-americanos).

Além de estar sendo marcado por erros absurdos de arbitragem (este ponto vou abordar em outro post), o Mundial 2010 já tem cara de Copa América. Pela primeira vez a América do Sul tem mais representantes que a Europa nas quartas de final da Copa do Mundo. São quatro (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai) contra três do velho continente (Alemanha, Espanha e Holanda) e um da África (Gana).

Ainda que o Paraguai deva cair diante da Espanha, afinal os paraguaios estão aí mais por incompetência dos japoneses e, principalmente, dos italianos na primeira fase, o feito é gigante.

Mas o que mais impressiona é a real possibilidade de chegarmos com três sul-americanos (Argentina, Brasil e Uruguai) nas semifinais da Copa do Mundo. Seria quase uma Copa América. Para que isso aconteça, cada equipe terá suas dificuldades específicas.

As missões sul-americanas

Os comandados de Dunga não podem vacilar diante da poderosa Holanda de Robben, Kuyt e Huntelaar. Os brasucas precisam ser melhores do que foram até agora na Copa. O gol de Robben contra a Eslováquia mostra que o menor espaço que ele tiver será transformado em perigo para o gol brasileiro. E o pior é que o meio campo do Brasil, já carente de boas peças, está bastante desfalcado para esta partida. Enfim, parada duríssima para a Seleção de Dunga.

O Uruguai de Oscar Tabárez vem muito bem depois das vitórias seguidas sobre África do Sul, México e Coreia do Sul. Tem um trio de ataque de arrepiar com dois jogadores excepcionais (Diego Forlán e Luis Suárez). É uma seleção que vem com força, sedenta pelo tri depois de 60 anos, e deve passar por Gana que, apesar de ter uma boa equipe, não deve conseguir segurar La Celeste. Mas nunca se sabe, pois as boas jogadas de Kevin-Prince Boateng e Gyan podem surpreender.

A parada da Argentina, como a do Brasil, é muito complicada. A Alemanha tem um dos melhores times do Mundial. São rápidos, técnicos e, como toda seleção alemã, tem uma obediência tática de dar inveja. Mas los hermanos tem Maradona. Como o próprio goleador Higuaín o chama: “um motivador nato”. O ex-craque tem armas poderosas de ataque sob seu comando e é idolatrado pelos jogadores. Jogão com cara de final antecipada, com tudo para ser o melhor jogo da Copa.

O Paraguai é quem tem a missão mais impossível das quartas de final. A Espanha pode até ter começado mal, perdendo para a Suíça na estreia, mas engrenou e conseguiu, ontem, fazer o que o Brasil não conseguiu (aliás niguém até então tinha conseguido na Copa): marcar um gol na seleção de Portugal. Enfim, até espero estar errado porque gostaria de ver o Paraguai nas semifinais, mas acho que a Fúria deve passar sem maiores dificuldades pelos paraguaios.

Esta é, sem dúvidas, uma Copa do Mundo com cara de Copa América.

Cuidado com as falsas estatísticas março 24, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

O Grêmio é o time com melhor aproveitamento em 2010, entre os clubes que disputam os principais campeonatos estaduais do Brasil. Segundo a estatística, o time do técnico Silas tem 83% de aproveitamento nos jogos pelo Gauchão e Copa do Brasil. É um aproveitamento maior que o da sensação do momento (o Santos de Robinho, Neymar e Ganso) que contabiliza 81% de aproveitamento.

É aí que reside o maior perigo. O Grêmio ainda está longe do padrão de futebol apresentado por Robinho e seus companheiros em 2010. O técnico gremista continua insistindo com jogadores protegidos e de baixa qualidade como Ferdinando e William e se recusa a admitir que os garotos da base possam substituir os dois ex-Avaí.

Para qualquer analista de futebol (exceto para Silas) tanto Fernando, quando Willian Magrão teriam muito mais condições de desempenhar com qualidade a primeira função do meio campo gremista. Já falei e repito que, com Ferdinando, o Grêmio não deverá ir muito longe. O jogador é limitado e pode prejudicar profundamente a equipe se não for sacado o quanto antes.

Além do volante, outro ex-Avaí povoa os pesadelos dos torcedores gremistas. William é um jogador de área de pouca habilidade e já mostrou, nas cinco partidas em que substituiu Borges (lesionado), que não tem condições de compor nem mesmo o banco de um time como o Grêmio. A jovem revelação, Mithyuê, tem entrado em seu lugar nos últimos 20 a 30 minutos e jogado muito mais que o pesado camisa 9. Silas, contudo, insiste em não concordar e deverá manter seu protegido até o retorno de Borges.

Exatamente por isso, a notícia de que o Grêmio é a equipe brasileira de melhor aproveitamento na temporada é extremamente perigosa. Pode levar o técnico Silas a acreditar que as coisas estão boas como estão e que ele poderá manter suas proteções e convições, pois os resultados estão vindo.

É preciso que alguém de dentro do clube diga a Silas que com o Inter de 2009 foi assim também. Até o início do Brasileirão o Internacional tinha o melhor aproveitamento no Brasil e mesmo assim não conquistou nada além do estadual. Exatamente o campeonato que distorce a realidade pelo baixo nível da maioria das equipes do interior gaúcho.

É impossível comparar, por exemplo, o aproveitamento do Grêmio (que enfrentou apenas o Inter como time de Série A e perdeu) com o do Santos que já bateu de frente com SPFC, Corinthians, Palmeiras e outros paulistas de qualidade. Cabe lembrar, por exemplo, que o Votoraty (time que deu extremo trabalho ao Tricolor no jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil) integra apenas a Série A2 do Paulistão.

Infelizmente, esta é a mais pura realidade.

Ronaldinho quer voltar? fevereiro 3, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , ,
add a comment

Se for verdade o que li no blog do Zini (Luiz Zini Pires), o Grêmio não pode dormir no ponto e tem que buscar imediatamente parceiros e investidores para trabalhar na concretização do desejo de Ronaldinho Gaúcho.

Segundo Zini, o craque gremista confessou a amigos que estaria louco para voltar ao Brasil também, a exemplo de Adriano, Ronaldo, Robinho, Wagner Love, Fred, etc.

O Grêmio é, sabidamente, o clube do coração de Ronaldinho Gaúcho e, apesar de sua saída conturbada do clube para o PSG no início da década, está na hora da direção Tricolor passar por cima do episódio traumático, pensar grande e colocar o Clube onde ele merece estar.

Por mais caro que seja o investimento, tenho certeza que haverá inúmeros interessados em um bom contrato de marketing para viabilizar o retorno do craque a seu clube de origem.

Os dirigentes tricolores só não podem dormir no ponto e devem começar as tratativas, desde já, com Assis, o irmão e empresário do atleta.

Goleada da Seleção quebra tabu junho 6, 2009

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

A Seleção de Dunga quebrou um dos maiores tabus que a Canarinho enfrentava desde 1976. O Brasil não vencia o Uruguai no estádio Centenário há mais de trinta anos. Nenhum dos jogadores brasileiros da atual Seleção Brasileira era nascido na última vez que a Seleção Brasileira venceu a Uruguaia em Montevidéu.

E melhor ainda, a quebra do tabu veio com uma goleada expressiva diante dos 50 mil torcedores que lotavam o estádio Centenário. Com os 4 a 0 deste sábado, e a derrota do Paraguai para o Chile, por 2 a 0, o Brasil assume a liderança das Eliminatórias da Copa 2010.

Os gols da partida foram feitos por Daniel Alves, Juan, Luis Fabiano e Kaká. Para o jogo contra o Paraguai, na próxima quarta em Recife, o ataque deverá ter Alexandre Pato como titular devido à expulsão de Luis Fabiano.

As gurias de Ouro do futebol agosto 21, 2008

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , ,
1 comment so far

A Seleção Brasileira feminina de futebol perdeu, há pouco, para os Estados Unidos por 1 a 0, em Pequim, e não chegou à inédita e sonhada medalha de ouro olímpica.

Em uma partida muito difícil para ambas equipes, com uma marcação muito forte, foi necessária a prorrogação para que as norte-americanas pudessem abrir o placar que garantiria a vitória e a terceira medalha de ouro olímpica da Seleção feminina de futebol dos Estados Unidos.

O internauta deve estar perguntando: “Mas então por que o título do post?!”

Simples, pelo menos na minha opinião. A atuação de luxo das brasileiras, pressionando os Estados Unidos o tempo todo mesmo sem metade do incentivo federativo e de patrocínio que as norte-americanas tem para treinar, não merecia menos que o ouro no quesito apoio e carinho da torcida. 

E se no pódio elas ficaram no segundo lugar, para os brasileiros elas devem ser consideradas vencedoras por chegar onde chegaram. Esta prata conquistada contra as poderosas norte-americanas deve, sim, ser comemorada.

Parabéns às GURIAS DE OURO DO FUTEBOL BRASILEIRO!

Fora Dunga!! junho 18, 2008

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , ,
add a comment

Após o empate de hoje, em 0 a 0 com a Argentina, em pleno Mineirão, não é possível que o excelentíssimo senhor Ricardo Teixeira, presidente praticamente vitalício da CBF, insista no erro e mantenha o técnico Dunga no comando da Seleção Brasileira.

Apesar de haver aqueles que apostavam no comando do ex-volante, capitão do Tetra, confesso, desde o início, não ser um destes apostadores. Principalmente porque Dunga não tinha experiência alguma como treinador e, convenhamos, sem nunca ter treinado sequer um time, não seria possível mesmo esperar sucesso em uma equipe como a Seleção Brasileira.

Na minha concepção, Dunga foi escolhido o técnico, justamente porque o presidente Ricardo Teixeira precisava de um “marionete” que seguisse cegamente suas instruções. Não deu Teixeira. Agora, pelo bem de todos, corrija o erro demitindo o técnico e trazendo alguém que realmente mereça estar ali.

Como disseram os mineiros: Adeus Dunga! Adeus Dunga!

Fluminense encara o Boca maio 23, 2008

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , ,
add a comment

Com a desclassificação do Santos para o América do México e do San Lorenzo para a LDU, os confrontos das semifinais da Libertadores da América 2008 estão definidos.

O América enfrenta a LDU e o Fluminense encara o poderoso, atual campeão, Boca Juniors. Apesar do natural descaso com que o técnico Renato Gaúcho trata o favoritismo do time argentino, não se pode negar as estatísticas. O último brasileiro a desclassificar o Boca em uma Libertadores da América foi o Santos de Pelé em 1963. Desde então o time argentino não mais perdeu vaga ou final de Libertadores para times brasileiros.

Para complicar ainda mais a vida do Tricolor Carioca, os dirigentes do Boca tentarão, após as regularizações e providências de segurança tomadas, a liberação da Bombonera para o confronto de ida pelas semifinais já na semana que vem.

Para os brasileiros, entretanto, aqui vai um dado estatístico interessante: Desde 1992, quando o São Paulo começou sua carreira de vencedor na Libertadores, o Brasil só não esteve em três finais da América: em 1996, 2001 e 2004.

Querendo transmitir a dificuldade dos confrontos com o Boca para seus comandados, o treinador do Flu ainda minimiza o fato de decidir o segundo jogo em casa, pois contra a experiência dos argentinos esta não necessariamente seria uma vantagem, segundo o técnico. Renato Gaúcho, como gremista que é, deve lembrar bem da final da Libertadores do ano passado em que o Grêmio decidiu com o Boca, no Olímpico, e mesmo assim não conseguiu reverter o resultado contrário da Bombonera.

De qualquer forma, ainda que não concordem comigo, acredito que deste confronto sairá o Campeão da Libertadores 2008. E mais, espero, sinceramente, que o Fluminense consiga quebrar e escrita dos argentinos contra os times brasileiros em Libertadores e garanta mais uma final com time brasileiro.