jump to navigation

Nem tudo é ataque com Renato dezembro 6, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , ,
add a comment

Seria uma injustiça tremenda falar apenas dos números do ataque na impressionante campanha do segundo turno do Grêmio de Renato Gaúcho, sem fazer menção à segurança conquistada pela defesa por ele organizada. Por isso encerro esta série de posts em homenagem à campanha de Renato, com este post.

Analisando apenas o segundo turno, encontramos consistência defensiva e apenas duas raras derrotas. A primeira, quase inexplicável, por 2 a 1, em casa, para o Palmeiras no dia 15 de setembro. Bem no dia da festa de aniversário do clube, estragada por Felipão. A outra derrota do time de Renato no returno foi para o campeão Fluminense, por 2 a 0, no Rio de Janeiro em 28 de outubro. E foi isso.

Durante todo o segundo turno, além das duas únicas derrotas mencionadas acima, o Grêmio empatou quatro, e venceu 13 partidas, contabilizando um total de 17 vitórias ao final do campeonato. Sim, depois de conquistar míseras 4 vitórias no primeiro turno, consegue a excelente marca de 12 no returno.

E as vitórias não são mérito apenas do ataque, é bom que se diga. A defesa gremista também trabalhou de forma exemplar na reta final do Brasileirão.

Durante todo o mês de novembro (mais a última rodada, que ocorreu já em Dezembro), foram seis jogos, sendo cinco vitórias e um empate. E além do time não perder, as redes do goleiro Victor, titular da seleção de Mano Menezes, balançaram apenas duas vezes nestes seis compromissos (um gol do Ceará na goleada por 5 a 1 e o outro do Atlético PR na vitória por 3 a 1).

Mas o excelente goleiro gremista não é o único responsável pelo excelente desempenho da defesa nesta reta final. Com Paulão, o Grêmio voltou a ter um xerifão na zaga, fazendo o que zagueiro tem que fazer: afastar o perigo. Além disso, a defesa (e o ataque também) conta agora com Gabriel, lateral direito de muita qualidade, e Rochemback, que foi recuperado pelo técnico, dando consistência ao miolo defensivo do time.

Enfim, como podemos ver neste post, nem tudo é ataque no time de Renato Gaúcho.

Anúncios

Os problemas do Grêmio março 1, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
2 comments

Apesar da conquista do título da Taça Fernando Carvalho (primeiro turno do Campeonato Gaúcho), o Grêmio segue sendo alvo de muitas críticas por parte da imprensa e setores da torcida.

Concordo com algumas destas críticas, mas não posso concordar com o pessimismo total de Wianey Carlet que, em sua coluna de ontem no blog, detona com toda e qualquer evolução que o time possa ter apresentado nos dois meses iniciais da temporada.

É óbvio que não há como mostrar evolução perdendo QUATRO de seus jogadores considerados titulares. Ainda no primeiro tempo o centroavante Borges, referência do ataque, saiu com lesão muscular e deve desfalcar o time nos próximos jogos.

Antes da partida contra o Novo Hamburgo, o Grêmio já tinha perdido nada menos que Souza, Lúcio e Leandro. É impossível, para qualquer um que conheça futebol, repor estas peças sem perder ao menos um pouco da qualidade que o time tinha com eles em campo.

Abaixo, entretanto, listo os problemas que afligem o torcedor Tricolor neste início de temporada.

Defesa que não desarma

Como falei acima, concordo plenamente que algumas das opções do treinador precisam ser repensadas urgentemente. Ferdinando não pode ser absolvido da precária condição técnica, que na minha opinião não o habilita nem mesmo ao banco gremista, por causa de um gol de falta. Ainda que este seja o gol do título.

A entrada de Magrão (ou Fernando) e Adilson neste meio de campo em substituição aos atuais dois volantes titulares (Ferdinando e Rochemback) deveria ser a prioridade máxima do técnico Silas.

Infelizmente, duvido muito que tais alterações sejam postas em prática, afinal, o limitado volante trazido do Avaí é da mais alta confiança do treinador. Talvez Adilson recupere o posto de Fábio Rochemback, mas o pior de todos deverá permanecer.

A defesa talvez melhore com uma melhor proteção dos meias defensivos, mas por enquanto representa risco constante.

Do meio pra frente as lesões incomodam

Com relação aos meia atacantes, creio que as melhores opções com as ausências de Souza e Leandro sejam mesmo Douglas e Hugo (talvez com Maylson em jogos que demandem mais marcação por parte do meio campo).

No ataque, na minha humilde opinião, outro problema. Por mais que os gols tenham saído recentemente, não vejo em Jonas as soluções para a segunda função do ataque. O atacante é limitado tecnicamente, erra muitos passes e continua perdendo inúmeros lances de ataque, ainda que compense com alguns gols, oriundos acima de tudo da garra de sempre.

Ainda no ataque, a grande perda do domingo foi o goleador Borges. William é um reserva esforçado, mas de características bem diferentes daquelas do ex-são paulino. É mais trombador e de posicionamento, mas tem muito menos velocidade e técnica. Os gols de Borges com certeza farão falta enquanto ele estiver fora.

Talvez, durante o período de recuperação do camisa 9 titular, seja melhor o técnico Silas optar por mais um jogador de meia cancha que possa se juntar ao ataque (Mithyuê pode ser boa opção), ao invés de lançar mão do ex-centroavante do Avaí.

Seria um 4-5-1 com meias que podem perfeitamente se revezar na segunda função do ataque (Hugo, Douglas e Mithyuê). Quando estiverem novamente na ponta dos cascos, prefiro mil vezes um ataque com Leandro e Borges que o atual, formado com Jonas. Ainda que muitos me considerem louco por criticar o atual camisa 7.

A casamata Tricolor

Aqui reside minha principal crítica ao Grêmio 2010. Não considero ruins as idéias de Silas a respeito de futebol e estruturação tática. Contudo, certos protecionismos, visíveis na equipe Tricolor atual, como o do volante Ferdinando, podem dar a entender que o técnico Silas está deixando sua religião ou bondade atrapalhar seu profissionalismo.

Entendo que o treinador seja eternamente grato pela dedicação de Ferdinando, que provavelmente seja da mesma igreja que o comandante, na boa campanha do Avaí no Brasileirão 2009. Mas Silas não pode querer retribuir, como um bom pastor, dando agora oportunidade no Grêmio para um jogador que, tecnicamente, não serve nem para o banco no atual grupo gremista.

É o primeiro grande problema do ano para a direção Tricolor enfrentar. Meira, Duda e sua turma não podem deixar que pratas da casa de qualidade como Fernando, Willian Magrão e Adilson, esquentem o banco para o fraco Ferdinando.

É preciso tomar alguma atitude já, antes que o Grêmio pague o preço caro de uma eliminação na Copa do Brasil, por conta da gratidão de Silas com o volante.

A venda de Réver janeiro 26, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , ,
add a comment

A recém anunciada negociação de Réver, que será vendido por 5 milhões de Euros para o Wolfsburg, traz novas preocupações para o torcedor Tricolor. Sem Réver, a defesa perde em qualidade, seja quem for seu substituto entre os zagueiros disponíveis no clube, hoje.

Entendo que o Grêmio precise honrar suas dívidas e que, para tal, a venda de jogadores se torna essencial. Contudo, os quatro que até agora se foram, estavam, sem sombra de dúvidas, entre os melhores da equipe em 2009. Tcheco, Maxi López, Douglas Costa e Réver. Os questionados não foram trocados ou vendidos.

Para piorar, com a venda, Mário Fernandes deverá atuar na zaga, deixando o clube, mais uma vez, órfão de lateral direito. Em outras palavras, o Grêmio 2010 está montado de forma bastante razoável do meio para a frente. Já o sistema defensivo, começando pelos volantes, passando pelos laterais e chegando na zaga, necessita de cuidados urgentes.

Agora resta ver o que o clube fará com os 55% de receita que obterá com a venda de Réver. Lamentavelmente, imagino que esteja quase tudo comprometido com a compra de 100% dos direitos de Douglas, que chega hoje ao Olímpico.

De qualquer forma, tenho confiança que Duda Kroeff faça algo urgente com relação a contratações para o sistema defensivo do time. Se não fizer, entretanto, o Tricolor corre sérios riscos nas competições importantes da temporada e poderá passar mais um ano em branco. Lamentável.