jump to navigation

O chute jornalístico na era do imediatismo julho 5, 2011

Posted by eduardotrindade in Futebol, Jornalismo Participativo.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Sei que alguns vão me odiar por esse post, como de praxe. Mas preciso registrar meu repúdio a um fato lamentável que ocorreu na semana passada e que, pela pouca repercussão negativa, provavelmente tenha passado despercebido pela grande maioria do público leitor. E, o pior, tudo porque um “grande nome” do jornalismo esportivo gaúcho não respeitou uma regra básica do bom jornalismo: a apuração concreta dos fatos antes de sua publicação.

Na quinta feira, dia 30 de junho, o jornalista Luiz Zini Pires, colunista de Zero Hora, deu como certa a contratação de Cuca como o novo técnico do Grêmio (reprodução ao lado). Segundo Zini, o presidente Paulo Odone havia decidido passar por cima de tudo e de todos e teria definido a contratação do técnico na madrugada de quinta. O jornalista figurou o dia inteiro entre os trends do Twitter, e o Brasil inteiro fez uso de sua certeza para embarcar no “furo”. Neste caso um “furo furado”.

Em seguida, o jornalista Eduardo Cecconi do globoesporte.com, este sim como manda o manual de qualquer bom jornalista, foi checar a informação com o próprio Cuca e recebeu como resposta um não, em alto e bom tom. Bastou para que o discurso da certeza de Cuca no Tricolor, que Zini havia espalhado, começasse a afundar. Cheguei a publicar um post, ironicamente, sob o título: Cuca é o novo técnico do Grêmio (ou não).

No mesmo dia, Zini resolveu tentar “corrigir” seu erro publicando um post dizendo que Antônio Vicente Martins não havia aceitado Cuca no Grêmio. Uma contradição, pois fora ele mesmo quem, no post anterior, havia afirmado que Odone cansara de esperar por uma atitude do diretor de futebol e, por isso, teria batido o martelo com Cuca sem nem ouvir o que Vicente Martins pensava sobre a contratação.

Então, na virada de sexta para sábado, duas jovens jornalistas do Diário Gaúcho (Christiane Matos e Mariana Mondini) deram aquele que viria a ser o verdadeiro furo: Julinho Camargo seria o novo técnico do Grêmio. Desta vez, tudo como manda o manual. Fontes certas, confirmadas e checadas. Nada de imediatismo infundado. Parabéns às gurias do Diário, que foram perfeitas e não apenas deram a notícia antes de todos, mas acima de tudo deram a notícia correta. E ainda foram prudentes usando na manchete um “deve ser o novo técnico do Grêmio”.

Claro que a repercussão em cima deste tropeço de Zini foi mínima. A imagem do responsável pela coluna Bola Dividida de Zero Hora deve permanecer imaculada, inabalada. E quanto antes todo mundo esquecer que ele havia colocado Cuca no Grêmio, melhor. Mas eu me recuso a esquecer dos ensinamentos de Pedro Luiz Osório, um dos melhores professores que tive no curso de jornalismo da Unisinos. Pedro sempre deixou claro que o furo pode ser fatal para um jornalista se a informação não for checada com precisão. Melhor perder o furo apurando os fatos do que dar uma notícia furada.

Infelizmente neste caso não foi assim, e o mais lamentável disso tudo é que não vimos sequer um post do Zini pedindo desculpas aos leitores por seu post leviano e infundado. O que ele fez foi fazer de conta que não foi com ele, e seguiu a vida como se nada tivesse acontecido. Espero, pelo menos, que seus superiores o tenham chamado a atenção.

Afinal, não é possível que o bom jornalismo ainda deixe espaço para chutes como este, simplesmente porque vivemos na era do imediatismo, pois se bons jornalistas como Eduardo Cecconi, Mariana Mondini e Christiane Matos conseguem apurar as informações antes de publicar seus posts, a regra deveria ser seguidas por todos, principalmente por nomes consagrados que ainda se dão ao direito de chamar seus críticos de desinformados.

Anúncios

Cuca é o novo técnico do Grêmio (ou não) junho 30, 2011

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , ,
1 comment so far

Suspense no Olímpico. Enquanto Luiz Zini Pires, colunista de Zero Hora com boas fontes, dá como certa a contratação de Cuca pelo Grêmio, Eduardo Cecconi, outro repórter conceituado e setorista do globoesporte.com no Olímpico, diz que acaba de falar com Cuca por telefone e o mesmo nega veementemente até mesmo que tenha sido feito algum contato para que ele seja o novo treinador do Tricolor Gaúcho.

Na minha opinião, acho que Cuca não quis revelar o acerto apenas porque a saída oficial de Renato Gaúcho ainda não foi concretizada (ainda que esteja selada). Neste caso, tudo leva a crer que Zini esteja certo e que, nas próximas horas, Paulo Odone anunciará a contratação de Cuca como novo técnico do clube. Mas como este mesmo jornalista deu como empacada a negociação com Miralles no mesmo dia que o Grêmio o anunciava, toda prudência é pouca.

Como coloquei no post anterior, o lamentável disso tudo é que Renato está saindo justamente agora que o time começava a receber os reforços e retornos de jogadores importantes lesionados. Não que ele seja o melhor treinador do mundo, mas ainda acho (e os históricos de ambos como técnicos confirmam) que Portaluppi é melhor técnico que Cuca.

Renato pede demissão do Grêmio junho 30, 2011

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , ,
1 comment so far

Renato Gaúcho, maior ídolo da história do Grêmio, pediu para sair do comando técnico do time, ontem, após o vexame do empate heroico contra um limitado Avaí em pleno estádio Olímpico. Apesar dos ataques de muitos torcedores contra Renato, não vejo sua saída neste momento como a solução para os problemas gremistas.

O treinador tem lá seus problemas, principalmente com relação a algumas preferências discutíveis dentro do plantel já limitado que tinha em mãos, mas todos tem. E depois de uma campanha como a do ano passado, tirando o clube da incômoda zona do rebaixamento e levando, em pouco mais de um turno, o time para a Libertadores com a melhor capanha de um turno na era dos pontos corridos, não posso concordar com aqueles que insistem em queimar o cara pelo início turbulento no Campeonato Brasileiro.

Principalmente porque este time que vem jogando não é o mesmo que passará a jogar nas próximas semanas, com os retornos de jogadores importantes que estavam lesionados e a inclusão dos contratados. O novo técnico, que deve ser Cuca, terá em mãos reforços que Renato não teve até agora e qualquer comparação será, no mínimo, injusta.

Mas pior que isso é ler que Celso Roth foi cogitado porque conta com a admiração do presidente Paulo Odone. Ainda que seja apenas uma especulação, o simples fato de Odone ter admiração pelo trabalho de um cara que a torcida odeia e que nunca ganhou nada importante (afinal, na campanha do título do Inter na Libertadores 2010, o técnico comandou o time apenas nos quatro últimos jogos, enquanto Fossati foi o técnico em 10 partidas) é, para dizer pouco, lamentável.

Enfim, espero que um dia os cartolas do futebol brasileiro aprendam que não adianta ficar trocando de técnico como quem troca de roupa. Tenho certeza que Sir Alex Fergusson, que permanece como treinador do Manchester United há 25 anos, apesar dos vários títulos importantes neste tempo todo, também passou por temporadas ruins, mas nem por isso teve que sair.

Coisas que não entendo 2 janeiro 20, 2009

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Desculpem a falta de criatividade no título deste post, mas realmente não consigo entender o que acontece nos bastidores do Grêmio. Quando todos os torcedores acreditavam que as novelas argentinas sobre Herrera e Máxi Lopez haviam acabado, ambas ressurgem com força. Lamento, senhores André Krieger e Duda Kroeff, mas a impressão é a de que já vimos o mesmo filme no ano passado com os senhores Pelaipe e Odone.

Mas não são apenas as insistências do Grêmio, dignas de novela mexicana, que irritam os torcedores. O que mais incomoda é ver que Fred pode vir para o Brasil apenas pelos salários. Será que o Imortal Tricolor não tem condições de entrar neste tipo de briga com times como o Palmeiras ou Fluminense, por exemplo? Ainda que os salários sejam altos, pra quem paga mais de 200 MIL a Celso Roth (?), conseguir investidores para bancar um bom salário para um atacante de alta qualidade não deveria ser problema.

Na minha opinião, falta ambição para aqueles que comandam o PRIMEIRO DO RANKING DA CBF. Não posso concordar que Fluminense ou Palmeiras sejam mais interessantes para um jogador que está sendo repatriado. Principalmente com Grêmio disputando uma Libertadores da América. Até concordo que o São Paulo de Muricy pudesse ter mais “bala na agulha” que o Tricolor Gaúcho para atrair um centroavante deste porte. Contudo, não consigo pensar o mesmo sobre estes dois que estão na briga por Fred. E a prova é Alex Mineiro.

Mas é óbvio que, sem contato dos dirigentes Gremistas com o empresário do centroavante demonstrando interesse, a possibilidade de defender o Tricolor nem passa pela cabeça do jogador. E penso, sinceramente, que, se as negociações já tivessem iniciado antes, não seria difícil atrair Fred para Porto Alegre, principalmente porque no Olímpico ele poderia ficar bem próximo do técnico da Seleção Brasileira, Dunga, para tentar chegar à Copa 2010. Agora, contudo, é tarde demais. É de fato lamentável que nossos dirigentes tenham se apequenado desta forma nos últimos anos.

Roger vai para o Catar julho 4, 2008

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , ,
add a comment

Surpreende, por tudo que vinha demonstrando de relação com o Grêmio, que Roger tenha saído como saiu. O camisa 10 anunciou, apenas hoje, que não viajaria amanhã para jogar contra o Botafogo, porque está fechando com o Catar Esporte Clube.

Entende-se, obviamente, que ele aceitasse de olhos fechados o contrato milionário, que para um jogador na idade dele pode significar a última chance de fazer fortuna. O que é incompreensível é a forma amadora como o jogador anunciou sua saída ao clube que o recuperou para o futebol, mesmo quando muitos o chamavam de “chinelinho” pelo histórico de insucessos e lesões recentes.

De qualquer forma, mesmo privado da habilidade do meia, o Grêmio mantém-se em boas condições de formação de meio-campo, setor que tinha Roger como referência de qualidade, graças ao anúncio da contratação de Souza e ao ingresso de Tcheco no time, em agosto.

Olho no Jardel Odone! junho 3, 2008

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , ,
1 comment so far

O ídolo Tricolor, Jardel, chegou nesta terça em Porto Alegre para começar o programa de recuperação em conjunto com a ESEF da UFRGS. Tudo indica que, aos 34 anos, Mário Jardel pretende retornar ao futebol para marcar mais alguns gols.

Concordo, como muitos dizem, que o melhor Jardel reside no passado, na memória de torcedores gremistas e portugueses. Contudo, um jogador que consiga, no final da carreira, fazer a metade da média de gols obtida em seus anos áureos já pode ser considerado um reforço e tanto para o ataque.

Túlio Maravilha, Marcelinho Carioca, Edmundo são exemplos de jogadores mais velhos que Jardel que continuam marcando. Acredito que, apesar de não como antes, Jardel ainda possa voltar a balançar a rede algumas vezes. Considero, por isso, imperioso que os dirigentes do Grêmio sentem, o quanto antes, com o jogador para esboçar um contrato de risco, como o próprio jogador já sugeriu.

Te liga Odone!!! Daqui a pouco outro clube grande resolve apostar na recuperação do jogador para mais uma ou duas temporadas e o Grêmio fica sem Jardel, que possivelmente acabará fazendo seus golzinhos em outro time.

Grêmio e os negócios impossíveis maio 7, 2008

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , ,
1 comment so far

Apesar dos insucessos conhecidos em todas as tentativas recentes de negociação do Grêmio com o São Paulo, os diretores do Tricolor Gaúcho ainda não desistiram de mendigar jogadores para o clube paulista. Desde o início do ano já foram tentados Souza e Hugo. Agora é a vez de Aloísio.

Na minha opinião, está mais que na hora de parar de virar motivo de chacota nacional sendo detonado por qualquer dirigente desqualificado do SPFC na mídia esportiva. Tanto o presidente Juvenal Juvêncio, quanto Marco Aurélio Cunha e até mesmo o técnico Muricy Ramalho, adoram tripudiar em cima das propostas do Grêmio, publicamente.

No início do ano, cheguei a desconfiar que os boicotes fossem oriundos das desavenças com o então diretor de futebol, Paulo Pelaipe. Agora, contudo, os comentários dos São Paulinos, mostram o desejo, ainda que enrustido, de inferiorizar as propostas do time que os desclassificou na Libertadores do ano passado e, em um passado pouco mais distante, ganhou um Brasileirão com gol de Baltazar em pleno Morumbi. Deve ser como ter espinhos atravessados pela garganta.

É óbvio o ranço. Não vejo, portanto, sentido em continuar alimentando esta relação de inferioridade perante estes cartolas prepotentes do futebol nacional. Por favor, Krieger e Odone, em respeito ao tamanho do Grêmio, não insistam em negócios com o São Paulo.

O poder da interatividade maio 2, 2008

Posted by eduardotrindade in Futebol, Jornalismo Participativo.
Tags: , , , , , , ,
add a comment

A torcida do Grêmio faz história e pede, em um coro de muitas vozes, o retorno de Mário Jardel ao Tricolor Gaúcho. Um dos motivos do eco ressonante dos torcedores é a interatividade e direito a voz que os meios digitais tem permitido.

O movimento dos torcedores nos forums, chats, comentários, blogs e outras plataformas WEB 2.0, pode até mesmo interferir no curso normal das decisões do futebol do Grêmio. O fato se assemelha às histórias recentes mencionadas por Hugh Hewitt, sobre a influência dos blogs na política Norte-Americana, no livro Blog, Entenda a Revolução que vai mudar seu Mundo.

É possível que a direção Tricolor, apesar do barulho, mantenha-se firme no propósito de não aceitar uma vinda de Jardel no momento para o Grêmio. Mas não há dúvidas que, com quase 90% da torcida demonstrando apoio a uma reintegração do jogador e com ele mesmo se oferecendo a um contrato de risco para mostrar suas condições, o Presidente Odone deveria ao menos pensar na hipótese, por tudo que Mário Jardel representa para o Clube.

É uma história interessante que, provavelmente, não fosse possível há dez anos atrás, quando a voz do público só era ouvida através dos meios tradicionais. Hoje, as mídias tradicionais ampliam o que circula no ciber-espaço e, com isso, o público ganha ainda mais voz para dialogar e não mais aceitar o monólogo hegemônico. Sua voz pode até não interferir em nada, mas ecoa com mais força que antes.

Enquanto isso a torcida gremista, ciente, ou não, deste poder, grita a todos seu desejo de ver Jardel jogando pelo Grêmio novamente. Se Odone e Krieger ouvirão, não sei, mas eu os aconselharia a dar uma conferida no que diz Hugh Hewitt, no livro que menciono acima, sobre o que acontece com quem fecha os ouvidos às massas e seus gritos digitais.

A volta do capitão Tcheco abril 26, 2008

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , ,
2 comments

Apesar do descarte de Krieger há poucos dias, o Grêmio anunciou a volta do capitão vice-campeão da Libertadores 2007 para o Olímpico. O meia Tcheco, que tem o apoio total da torcida gremista, deve se apresentar após o final da Copa da Ásia, dia 22 de maio e, por isso ficaria fora das duas ou três primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro.

A diretoria apresenta o jogador como o primeiro reforço de nome para as disputas do Brasileirão e da Sul Americana. Os meias Roger e Tcheco, juntos, devem dar a qualidade necessária para a armação das jogadas de ataque do Tricolor. E dentro da idéia de ter um grupo forte para substituições que não comprometam, o meia André Luis é um bom reserva para a posição. Além de Tcheco, o meia Renato (Al Nasr) e o volante Fábio Rochemback (Middlesbrough) voltam a ser cogitados pelos corredores do Olímpico.

As dúvidas do torcedor pairam, contudo, sobre o setor defensivo do meio-campo. Com a saída de Eduardo Costa, o técnico Celso Roth perde seu único primeiro volante de qualidade (ainda que Celso viesse usando o jogador na segunda função para utlizar Nunes na primeira). O volante Júnior deve ser dispensado. Rafael Carioca e Willian Magrão são boas opções, porém jogam mais como segundo volante, assim como Rochemback, se vier. E quem fará a retenção? Quem será o primeiro volante que dá proteção à zaga? Amaral? Talvez Makelele, mas será que vem? É uma posição de extrema importância para dar segurança ao time e acho que estes dois não seriam as melhores opções para quem almeja, ao menos, uma vaguinha na Libertadores.

É preciso ter em mente, ainda, que jogadores como Renato e Rochemback só podem ser inscritos no Brasil em agosto, quando o Brasileirão já estiver pela 17º rodada, quase ao final do primeiro turno. Acho, portanto, que a vinda de um volante de qualidade, é primordial para que o Grêmio tenha um plantel mínimo de reposição também para o meio campo defensivo, já no início do Campeonato Brasileiro.

As reformulações necessárias abril 11, 2008

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , ,
add a comment

Após as desclassificações precoces, para times teoricamente menos qualificados, no Gauchão e Copa do Brasil (maiores vexames do Grêmio, desde o rebaixamento para a Série B, em 2004), o primeiro a cair foi Paulo Pelaipe. Mas tudo indica que a queda do diretor de futebol do Grêmio seja apenas o começo de uma série de mudanças necessárias para que o Tricolor Gaúcho não corra sérios riscos de rebaixamento no Campeonato Brasileiro que inicia em Maio.

O nome do técnico Tite, por exemplo, já havia sido cogitado quando Mano Menezes definiu sua saída, no final do ano passado, porém as diferenças do treinador com o ex-diretor de futebol eram imcompatíveis e Pelaipe convenceu Odone de que Mancini seria a melhor saída. A verdade é que não foi. Ou até poderia ser, mas não o deixaram mostrar. Sim, porque o técnico acabou demitido SEM DERROTAS, com aproveitamento de mais de 75% no comando do time.

Para seu lugar Pelaipe trouxe, mesmo contrariando a grande maioria da torcida gremista, o técnico Celso Roth, que acabou por desclassificar o time nas duas competições que disputava. A permanência do dirigente no comando do futebol gremista, dava sustentação ao treinador, mesmo após os resultados adversos. Agora, com sua saída, possivelmente o presidente Odone troque também a comissão técnica, começando por Roth. E sem Paulo Pelaipe no caminho, o nome de Tite parece mesmo ser o mais forte, apesar das especulações em torno do nome de Guilherme Macuglia, do Guaratinguetá, líder da fase de classificação do Paulistão.

Mas além da troca de comando, é bom que o torcedor não se iluda, contratações são imprescindíveis, até porque, com a perda de 6 milhões de Reais em receitas, por causa das desclassificações, o clube prevê a venda de Leo e Anderson Pico, dois jogadores considerados titulares no atual plantel. É bom mesmo que Odone e sua equipe utilizem o mês de férias forçadas para botar ordem na casa, pois como está, não dá pra encarar o Brasileirão 2008.

A queda do invicto abril 7, 2008

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , ,
1 comment so far

Pois é, de nada adiantou chegar invicto às quartas de final do Campeonato Gaúcho. O Grêmio está fora do Gauchão com a derrota por 3 a 2 para o Juventude. Contudo, discordo um pouco das manchetes que colocaram o fato como VERGONHA. Não acho que empatar em 4 a 4 nos 180 minutos e perder a vaga pelo gol qualificado seja algo vergonhoso, principalmente em se tratando do Juventude. Seria vergonhoso terminar com os 3 a 0, mas não foi este o caso. Arrisco inclusive dizer que, na balada que os jogadores entraram depois das expulsões de Jonas e Eduardo Costa, se o jogo tivesse mais dois ou três minutos, talvez a história fosse diferente.

O que realmente é uma VERGONHA é a opção pela mediocridade em detrimento da qualidade. O técnico Celso Roth ressucitou, inexplicavelmente, o jogador Nunes, optando por deixar de fora o volante Júnior. Ainda que este não esteja 100%, a escolha é inexplicável. Apesar da defesa absurda de Pelaipe, Nunes já teve inúmeras oportunidades no Grêmio para mostrar do que é capaz e, convenhamos, sempre mostrou muito pouco. Sem contar que, para usar este jogador, Roth precisa mover Eduardo Costa para a segunda função do meio campo, quando ele rende muito mais como o primeiro volante. Em outras palavras, além de optar pelo pior (Nunes ao invés de Júnior) o técnico gremista ainda piora as coisas para Eduardo que tem que jogar deslocado.

Enfim, a mediocridade do plantel do Grêmio assusta e nos dá apenas uma certeza: É preciso buscar reforços para não sofrer as conseqüências no Brasileirão. Além disso, a situação do técnico deveria ser rapidamente repensada, afinal, esta mesma direção demitiu Mancini após uma campanha breve, mas sem derrotas, enquanto isso, Celso Roth perde, em seqüência, para dois adversários que, teoricamente, deveriam ser atropelados por quem tem pretensões de títulos na temporada. Ou será que Pelaipe e Odone não desejam os títulos que a torcida espera???

A missão de Roth fevereiro 18, 2008

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , ,
1 comment so far

roth1.jpgDeixadas de lado as contestações pela forma como Celso Roth chegou ao Grêmio pela terceira vez em sua carreira como treinador, é hora de avaliar quais serão as principais alterações, não apenas de escalação, mas também de postura, que o novo técnico promoverá para que a equipe possa render mais do que vem apresentando e brigar por títulos em 2008. A principal missão de Roth será dar consistência defensiva ao time. Não por menos o nome de Celso foi o preferido pela direção que insiste com a parede de três volantes, para a qual o Grêmio não tem jogadores com a qualidade necessária, na posição, que possam trabalhar também na armação.

Os jogadores Maylson e Adilson, podem até ser bons reservas, para compor grupo, mas fica clara a falta de técnica e experiência para que eles possam encarar os profissionais, neste paredão de retenção e armação que pretende o Grêmio. Será preciso, portanto, definir um esquema que tenha a ver com as disponibilidades atuais, sem ficar pensando em quando (ou se) chegar o Rochemback, ou outro jogador para a função.

A escalação com os três volantes necessita de um terceiro homem que tenha o toque diferenciado, e possa chegar na frente, como era o Diego Souza que foi “promovido” por Mano Menezes a meia armador pela qualidade do passe e finalização, mas era volante originalmente. Ou Lucas que é da posição também, mas tem ótima saída de bola e técnica apurada para cumprir esta terceira função de um meio-campo com três homens de retenção. Do elenco atual que está jogando, o Tricolor conta com dois volantes que podem ser titulares nesta formação. Eduardo Costa e Willian Magrão. Talvez Júnior, possa vir a ser esta terceira peça do paredão defensivo da meia cancha gremista, mas precisa jogar para ser avaliado, pois está muito tempo sem participar de uma partida oficial.

De qualquer forma, é importante ressaltar que ontem, após a expulsão de Anderson Pico, o time pelo menos demonstrou a garra que se espera da equipe gremista. A justificativa pode ser o fato de estarem todos querendo mostrar serviço para o novo técnico. Alguns inclusive receberam elogios do treinador. Ainda assim, mesmo com a garra e entusiasmo de alguns, Roth percebeu que terá muito trabalho até obter um time equilibrado como pretende.

Como amantes do esporte, esperamos que, assim como Abel Braga quebrou, no Internacional, o tabu de nunca ter ganho mais que títulos regionais, o caxiense Celso Roth também possa erguer, no Rio Grande do Sul, seu primeiro caneco de expressão nacional. Apesar das contrariedades.

Pelaipe contra a torcida Gremista fevereiro 16, 2008

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , ,
2 comments

A direção do Grêmio, através de Pelaipe e Odone, definiu a contratação de Celso Roth na sexta-feira, mesmo contrariando grande parte da torcida Tricolor. O principal argumento contra o técnico, por parte dos torcedores, é o fato dele nunca ter ganho mais que campeonatos estaduais (apenas no RS) e regionais (Copas Sul e Nordeste), mesmo treinando potências do futebol brasileiro como Santos, Flamengo, Atlético Mineiro, Botafogo, além da própria dupla Grenal.

O torcedor gremista queria mais. Ou então, que Mancini fosse mantido no cargo. Afinal este tem, em muito menos tempo como técnico, uma conquista bem mais importante que qualquer uma de Roth que tem quase 15 anos de carreira. Pra completar, como já falamos em outro post, Vagner tinha um aproveitamento de 77%, invicto, com 14 pontos entre 18 disputados. Sem contar que a equipe começou do ZERO, com o desmanche sofrido pelo time desde o final do ano passado, e agora é que estavam chegando os principais reforços.

Claro que a decisão passa pelo que Vagner Mancini falou, ainda na sexta. A direção tricolor tentou interferir no vestiário, segundo o ex-técnico gremista. Odone não negou, apenas tentou dar outro tom à interferência chamando de “tentativa de diálogo”. A preferência desta direção sempre foi por uma equipe mais defensiva no meio campo. Mancini não deu ouvidos, e, na minha forma de conceber o trabalho de um técnico com convicções e personalidade, o fez com razão.

Pode-se perceber pela escalação de amanhã, que, com certeza, não é de Julinho Camargo, e sim de Pelaipe e Odone, que os dirigentes querem ver um Grêmio mais fechado atrás, com o esquema 3-5-2 onde, dos cinco jogadores que compõem o meio, apenas Roger é meia-atacante. Os outros são os dois volantes (Eduardo Costa e Adilson, ou Willian Magrão) e os alas (Paulo Sérgio e Anderson Pico).

Na verdade não estou questionando qual dos dois esquemas pode ser mais efetivo para este Grêmio, mas Pelaipe e Odone sabiam que Mancini era mais ofensivo, pois foi com o Paulista pra frente que ele conquistou sua primeira Copa do Brasil. Isso com menos de 5 anos como técnico profissional e comandando um time pequeno, com jogadores de menos qualidade que o atual elenco do Tricolor.

Se não queriam treinador ofensivo, porque o trouxeram? Se não sabiam que este era seu estilo, então o erro é ainda maior. Talvez, como especulam alguns, Vagner Mancini tenha sido contratado na esperança dos dirigentes que, por ser um técnico novo, facilmente aceitaria as interferências estilo Eurico Miranda. Outro erro grave. A mudança para Roth, é, não apenas drástica, como também indica a falta de um norte por parte da atual direção gremista.

Mas, acima de tudo, o que considero verdadeiramente inaceitável é a direção Tricolor não levar em conta o repúdio gremista ao treinador escolhido. Os dirigentes simplesmente fecharam os olhos e ouvidos aos clamores da torcida que lota o estádio e serve, para a direção, na hora de apoiar o time, mesmo com todas as fracassadas tentativas de contratação. Lembro, inclusive que, anteriormente, Mário Sérgio não foi trazido devido à contestação geral por parte da torcida. Porque desta vez foi diferente? O torcedor identificado com o time sabe que Roth não tem a cara do Grêmio, não é o que o time precisa e provavelmente passe mais um ano apenas com o Gauchão, como fez outras vezes em que aqui esteve.

Espero poder, no futuro, linkar este post a outro que diga que eu estava errado, mas, hoje, por tudo o que já vimos dele, acredito ser este mesmo o caminho com Celso Roth no comando.