jump to navigation

O primeiro de muitos março 10, 2011

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Desde os tempos de Renato Gaúcho como jogador, o Grêmio aprendeu a vencer enfrentando as mais complexas adversidades. Tais conquistas renderam ao clube a alcunha de Imortal Tricolor. Foi assim em Tóquio, em 1983, e não seria diferente no primeiro título de Portaluppi como técnico do clube que o revelou para o mundo. O primeiro de muitos, tudo indica.

Ontem, após a vitória suada nos pênaltis contra o Caxias pela final da Taça Piratini (primeiro turno do Campeonato Gaúcho 2011), Renato experimentou sua primeira conquista como treinador do seu time do coração, seguindo a mais sofrida das tradições tricolores.

O Grêmio perdia por 2 a 0 quando o técnico gremista,  ainda no primeiro tempo, sacou Carlos Alberto do time e colocou Bruno Colaço em seu lugar, para dar mais consistência defensiva pelo lado esquerdo. Deu certo.

Antes mesmo do intervalo, como efeito da mudança promovida por Renato Gaúcho, o Tricolor descontou com uma das apostas do próprio técnico para a decisão: Willian Magrão, que havia iniciado a partida no lugar de Lúcio, marcou de fora da área em chute indefensável mesmo para o bom goleiro André Sangalli.

Mas o sofrimento perduraria por todo o segundo tempo e boa parte dos 8 minutos de descontos (6 minutos propostos incialmente, mais 2 por cera técnica já dentro dos descontos). O gol de empate do Grêmio veio apenas aos 50 minutos do segundo tempo, com Rafael Marques.

A decisão da Taça Piratini (primeiro turno do Gauchão 2011) foi então para os pênaltis, e o Grêmio conquistou o primeiro caneco sob o comando de Renato Portaluppi, graças às duas defesas de Victor, o goleiro gremista e da Seleção Brasileira. É o Imortal Tricolor fazendo história novamente.

Anúncios

Renato pode salvar o Grêmio agosto 11, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , ,
2 comments

A escolha de Renato Gaúcho para o comando técnico do Grêmio tem muito a ver com sua história no Clube, obviamente, mas também com a reconhecida habilidade do treinador em motivar os jogadores a fazer aquilo que sabem fazer melhor: jogar.

O Grêmio de 2010 tem, indiscutivelmente, um dos melhores planteis do Brasil em várias posições. Claro que alguns setores são mais carentes que outros. A lateral direita, por exemplo, ainda não tem um dono definitivo e incontestável.

Na zaga o time precisa de um xerifão como Réver, novamente. Mas no overall, a equipe está muito bem servida e teria plenas condições de brigar pelo G4 se tivesse começado o campeonato de forma diferente.

A questão, agora, é que o Grêmio perdeu muito tempo patinando e a missão de Renato será manter o time na faixa intermediária da tabela e, para que o ano não seja perdido, lutar pela conquista da Sul Americana e, com ela, uma vaga para a Libertadores 2011.

De qualquer forma, acredito que a escolha do novo técnico do Grêmio possa realmente colocar o time nos trilhos, fazendo com que bons jogadores como Jonas, Borges, Hugo, Souza, Leandro, Douglas, Maylson, Adilson e Willian Magrão voltem a jogar o que sabem, com alegria e vontade de vencer.

Além disso, outro ponto importante na vinda de Renato para o Grêmio será o movimento de reaproximação do Clube com a torcida que anda bastante insatisfeita com os resultados e com a direção. Os torcedores gremistas se identificam fortemente com o técnico e, ao que tudo indica, deverão lotar o aeroporto Salgado Filho para a chegada do treinador, assim como o farão nas próximas partidas no estádio Olímpico.

E se Renato trabalhar com sua tradicional gana de vencer, pode estar escrevendo mais um grande capítulo de sua brilhante história como o principal ídolo gremista. Agora na casamata. Boa sorte Renato!