jump to navigation

O primeiro de muitos março 10, 2011

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Desde os tempos de Renato Gaúcho como jogador, o Grêmio aprendeu a vencer enfrentando as mais complexas adversidades. Tais conquistas renderam ao clube a alcunha de Imortal Tricolor. Foi assim em Tóquio, em 1983, e não seria diferente no primeiro título de Portaluppi como técnico do clube que o revelou para o mundo. O primeiro de muitos, tudo indica.

Ontem, após a vitória suada nos pênaltis contra o Caxias pela final da Taça Piratini (primeiro turno do Campeonato Gaúcho 2011), Renato experimentou sua primeira conquista como treinador do seu time do coração, seguindo a mais sofrida das tradições tricolores.

O Grêmio perdia por 2 a 0 quando o técnico gremista,  ainda no primeiro tempo, sacou Carlos Alberto do time e colocou Bruno Colaço em seu lugar, para dar mais consistência defensiva pelo lado esquerdo. Deu certo.

Antes mesmo do intervalo, como efeito da mudança promovida por Renato Gaúcho, o Tricolor descontou com uma das apostas do próprio técnico para a decisão: Willian Magrão, que havia iniciado a partida no lugar de Lúcio, marcou de fora da área em chute indefensável mesmo para o bom goleiro André Sangalli.

Mas o sofrimento perduraria por todo o segundo tempo e boa parte dos 8 minutos de descontos (6 minutos propostos incialmente, mais 2 por cera técnica já dentro dos descontos). O gol de empate do Grêmio veio apenas aos 50 minutos do segundo tempo, com Rafael Marques.

A decisão da Taça Piratini (primeiro turno do Gauchão 2011) foi então para os pênaltis, e o Grêmio conquistou o primeiro caneco sob o comando de Renato Portaluppi, graças às duas defesas de Victor, o goleiro gremista e da Seleção Brasileira. É o Imortal Tricolor fazendo história novamente.

Anúncios

Desfalques contra o Fluminense maio 3, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

O técnico Silas acabou de comemorar seu primeiro título pelo Grêmio e já começa a quebrar a cabeça para montar o time que entrará em campo contra o Fluminense pela Copa do Brasil nesta quarta-feira.

As suspensões de Edilson e Willian Magrão (ambos levaram o terceiro cartão amarelo), e Rodrigo (expulso no Maracanã) levam o técnico gremista a estudar as possibilidades de reposição.

Com o provável retorno de Mário Fernandes na defesa, o zagueiro Ozéia, que jogou o Grenal, deverá substituir Rodrigo. No meio, Fábio Rochemback é o favorito à vaga de Willian Magrão.

A maior dúvida reside na lateral direita. Ainda assim, a entrada de Joilson na segunda etapa do clássico, no lugar de Neuton, pode indicar que ele seja o substituto de Edilson.

Assim, a mais provável escalação do Grêmio para o jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil contra o Fluminense no Olímpico será: Victor; Joilson, Mário Fernandes, Ozéia e Neuton; Adilson, Fábio Rochemback, Hugo (Leandro) e Douglas; Jonas e Borges.

Escalação para a Copa do Brasil abril 26, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

O retorno do meia Douglas e a lesão de Ferdinando, forçam o técnico Silas a, pelo menos, duas mudanças no Grêmio em relação ao time que iniciou o Grenal 380 como titular.

Na minha opinião, ambas as alterações podem melhorar a equipe. Há ainda uma terceira possibilidade. Trocar Leandro por Hugo, que no clássico jogou mais.

Ferdinando para por 3 semanas

A ressonância magnética de Ferdinando indicou uma lesão muscular na coxa que o tira dos gramados por aproximadamente três semanas. Seu substituto deverá ser Adilson.

O garoto, formado nas bases do clube, entrou muito bem no segundo tempo do Grenal e, compondo a dupla de volantes com Willian Magrão, ajudou o Grêmio a se organizar melhor na segunda etapa e derrotar o Internacional em pleno Beira Rio.

Apesar da lesão de Ferdinando, homem de confiança do técnico, creio que a entrada de Adilson aumente a qualidade do time.

Hugo no lugar de Leandro?

Apesar das pequenas possibilidades desta troca acontecer, com o retorno de Douglas ao time, reitero que, na minha humilde opinião, pelo que vi no Grenal 380, Hugo poderia contribuir mais, para o time de Silas, que Leandro.

De qualquer forma, falo em pequenas possibilidades porque o segundo tem muito crédito com a comissão técnica e direção, o que deve, ainda, garantir sua presença entre os titulares no Maraca. Mesmo jogando pouco contra Avaí e Inter.

Na lateral esquerda, Neuton

Aqui não deve haver mudanças. O garoto estreiou entre os profissionais justamente contra o Inter, no Beira Rio, em decisão de Campeonato Gaúcho e foi um dos destaques gremistas na partida. Demonstrou qualidade na marcação e, acima de tudo, maturidade para enfrentar a fumaceira que sempre é um Grenal. Característica que com certeza o ajudará no Maracanã.

Sem troca na zaga também

Mário Fernandes sente o ombro desde o confronto contra o Avaí no Olímpico, mas por não ser uma lesão que gere grandes preocupações, o zagueiro viaja ao Rio de Janeiro e deverá iniciar a partida contra o Fluminense como titular.

Assim, a provável escalação do Grêmio para o jogo contra o Fluminense pela Copa do Brasil seria a seguinte: Victor; Edílson, Mário Fernandes, Rodrigo e Neuton; Adilson, Willian Magrão, Leandro (Hugo) e Douglas; Jonas e Borges.

Willian Magrão já! abril 6, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , ,
add a comment

Infelizmente parece que o técnico Silas não viu o mesmo jogo que eu, e grande parte da crônica esportiva do Rio Grande do Sul, neste final de semana em Caxias, contra o Juventude. Willian Magrão, na minha opinião, jogou muito mais que Ferdinando em todos os jogos em que este último atuou pelo Grêmio.

Justiça seja feita, a única característica que o titular de Silas tem melhor que Magrão é a cobrança de faltas. Foi dos pés dele, em bola parada, que saiu o gol contra o Novo Hamburgo na final da Taça Fernando Carvalho, por exemplo. Mas é muito pouco para garantir a titularidade do volante. Principalmente em um time como o Grêmio que tem outros bons batedores.

Um volante precisa, acima de tudo, qualidade de passe e desarme. Fundamentos que Ferdinando não apresenta. Magrão tem, indiscutivelmente, mais qualidade de desarme e passe. O garoto da base não apenas rouba a bola com precisão, como consegue facilmente deixar os meias e atacantes na cara do gol com passes de extrema categoria. Foi assim contra o Juventude no domingo. O ex-Avaí, por sua vez, mal consegue desarmar e quando o faz, rifa a bola. Isso quando não a perde na cabeça de área como fez no jogo contra o Votoraty.

Infelizmente, Silas força os gremistas a torcerem por uma lesão (ainda que mínima) de Ferdinando. Foi assim com o centroavante William e há quem aposte que o volante protegido só saia da equipe titular por motivos de lesão. E aí, poucos duvidam que Magrão repetirá Maylson que, após a lesão de Hugo, ocupou definitivamente a vaga.

Vitória fácil sobre Votoraty abril 1, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

O Grêmio passou fácil pelo Votoraty, há pouco, no estádio Olímpico e garantiu a classificação às oitavas de final da Copa do Brasil. A vitória, por 3 a 0, foi a 14ª consecutiva de Silas na temporada e a 51ª partida de invencibilidade em casa. Apesar do placar dilatado, com gols de Jonas, Maylson e Rodrigo, a meu ver o time não apresentou uma de suas melhores atuações na temporada. Alguns erros defensivos só não foram decisivos por falta de capacidade e sorte do ataque adversário.

Ferdinando, por exemplo, apesar de ter conseguido passar dois ou três jogos sem comprometer, voltou a cometer erros absurdos. Em um deles, o volante não apenas tirou a bola dos pés de um dos zagueiros gremistas, como ao girar, entregou-a para o atacante do Votoraty que encostou para outro que vinha de trás. O chute saiu com perigo para o gol de Victor. Se fosse contra um time de ponta, tais erros seriam fatais.

De qualquer forma, não quero parecer o crítico que pega no pé e não larga, mesmo com os resultados chegando. Elogio o time pela evolução e consigo ver um bom futuro para esta equipe do Grêmio 2010. Mas continuo achando que está mais do que na hora do técnico experimentar o meio campo formado com Adislon, Willian Magrão, Maylson e Douglas. Talvez seja este o pulo do gato do Tricolor 2010. De qualquer forma, acredito que Ferdinando, protegido de Silas, só saia do time titular por motivos de lesão. Infelizmente.

A gangorra da dupla Grenal março 29, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

O Grêmio venceu mais uma no Olímpico. Desta vez contra o Esportivo de Bento Gonçalves, por 2 a 0. O Tricolor contabiliza agora nada menos que 50 partidas sem perder em sua casa. E Silas já acumula 13 vitórias consecutivas na temporada. O número impressiona qualquer fã do futebol. São 39 pontos conquistados nos últimos 39 disputados entre Gauchão e Copa do Brasil.

Na partida, que só não teve um placar mais dilatado por conta das excelentes defesas do goleiro Caio do Esportivo, Maylson, foi mais uma vez o destaque. Mas não podemos, sob hipótese alguma, esquecer do volante Willian Magrão.

Depois de muito tempo de recuperação após a cirurgia no joelho, Magrão novamente iniciou uma partida como titular e, como costumava fazer antes da lesão, jogou bem e marcou o seu. Espero que Silas veja que o meio de campo do time pode render muito mais com Willian Magrão no lugar de Ferdinando, compondo a dupla de volantes com Adilson.

A Gangorra Gaúcha

Enquanto isso, o Internacional do técnico Jorge Fossati perdeu mais uma e caiu para a quarta colocação do grupo 2 do Gauchão. Desta vez o algoz colorado foi o Caxias do técnico Julinho Camargo que venceu no estádio Centenário por 2 a 0. Com a atual classificação, com o Grêmio em primeiro do grupo 1 e o Inter em quarto no grupo 2, a dupla Grenal se encontraria já no primeiro jogo da próxima fase. Claro que, apesar da atual fase, o Inter ainda tem o jogo contra o Universidade para buscar uma vitória e evitar o confronto com o Tricolor já no início da fase final da Taça Fábio Koff.

De qualquer maneira, Fernando Carvalho e Vitório Píffero garantem que o treinador uruguaio terá outra chance no comando colorado na próxima quarta, contra o Cerro do Uruguai em Porto Alegre pela primeira fase da Libertadores 2010. Caso perca, ou empate, Jorge Fossati deverá ser demitido e o Inter verá suas chances de classificação na Libertadores da América praticamente desaparecerem.

O mais impressionante é que o resultado dos jogos contra o São José, no meio da semana, e Caxias, no domingo, não é o pior de tudo para o Inter. O time está há seis jogos sem vencer. Apesar de todas as badalações de início de temporada, os comandados de Fossati tem jogado muito pouco para quem almeja disputar o título da principal competição de futebol de clubes das Américas.

A torcida pede desesperadamente a queda do técnico, enquanto a direção insiste em manter o uruguaio, mesmo correndo riscos de desclassificação ainda na primeira fase da Libertadores 2010.

É a velha gangorra da dupla Grenal de volta à cena do futebol gaúcho.

Grêmio é lider geral do Gauchão março 26, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Com a vitória de ontem, por 2 a 1 sobre o Novo Hamburgo no estádio Olímpico, o Grêmio assume a posição de melhor campanha geral no Gauchão 2010 e, se mantiver o ritmo, garante todos os jogos da fase final em casa. Para o Tricolor, uma excelente vantagem, já que com o resultado de ontem o Grêmio acumula 49 partidas sem derrota em seus domínios. Para quem não lembra, a última derrota do time no Olímpico foi em 13 de setembro de 2008, por 2 a 1 para o Goiás, ainda sob o comando de Celso Roth. Desde então, o clube não sabe o que é perder em casa.

Afirmações Tricolores

Primeiro, a confirmação da qualidade diferenciada do meia Douglas. O ex-corinthiano assumiu a camisa 10 Tricolor e, sem cerimônia, tomou pra si o papel de cérebro articulador do time. Tem um toque rápido, é habilidoso e praticamente não erra passes. Um verdadeiro achado de Duda Kroeff e Luiz Onofre Meira.

Maylson, que entrou na equipe devido às lesões de Hugo, Leandro e Souza, deve estar garantido sua titularidade. Isso provavelmente mesmo após o retorno dos dois primeiros, o que deve ocorrer ainda em abril. O garoto é uma das grandes revelações da base e já mostrava isso na seleção brasileira sub 20 e nas categorias de base do próprio Tricolor. Com as oportunidades, está confirmando seu potencial, mesmo jogando adaptado em uma função mais ofensiva que sua original.

Outra boa notícia vem do setor defensivo e com mais um garoto da base. Com Mário Fernandes e Rodrigo o Grêmio ganhou uma zaga rápida e confiável que transmite segurança para os torcedores e colegas de time. Ainda na defesa, os laterais Edilson e Fábio Santos parecem estar, aos poucos, se encaixando no time e garantindo proteção defensiva aos zagueiros e apoio ofensivo quando necessário.

Os problemas

Apesar da 12 vitórias em sequência, e dos 49 jogos sem perder no Olímpico, continuo defendendo a idéia de que Ferdinando não deve ser o primeiro volante da equipe titular. O jogador está muito longe da qualidade técnica dos garotos da base (Willian Magrão e Fernando). Se fosse substituído por um deles, o meio campo gremista ganharia, com certeza, uma saída de bola mais qualificada para encarar os adversários mais duros que o Grêmio deverá enfrentar nas próximas fases da Copa do Brasil.

O mesmo vale para o atacante William. Ainda que seja um problema menor, já que Borges, o titular da posição, deve retornar por volta do dia 11 de abril, continuo afirmando que o centroavante, ex-Avaí, não tem muito a contribuir. Principalmente quando chegarem compromissos mais difíceis e uma marcação mais forte. Ontem ele até marcou seu gol, mas não fez muito mais que isso. Mesmo assim, Silas continuará a barrar a entrada de Mithyuê no time para manter seu protegido.

Cuidado com as falsas estatísticas março 24, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

O Grêmio é o time com melhor aproveitamento em 2010, entre os clubes que disputam os principais campeonatos estaduais do Brasil. Segundo a estatística, o time do técnico Silas tem 83% de aproveitamento nos jogos pelo Gauchão e Copa do Brasil. É um aproveitamento maior que o da sensação do momento (o Santos de Robinho, Neymar e Ganso) que contabiliza 81% de aproveitamento.

É aí que reside o maior perigo. O Grêmio ainda está longe do padrão de futebol apresentado por Robinho e seus companheiros em 2010. O técnico gremista continua insistindo com jogadores protegidos e de baixa qualidade como Ferdinando e William e se recusa a admitir que os garotos da base possam substituir os dois ex-Avaí.

Para qualquer analista de futebol (exceto para Silas) tanto Fernando, quando Willian Magrão teriam muito mais condições de desempenhar com qualidade a primeira função do meio campo gremista. Já falei e repito que, com Ferdinando, o Grêmio não deverá ir muito longe. O jogador é limitado e pode prejudicar profundamente a equipe se não for sacado o quanto antes.

Além do volante, outro ex-Avaí povoa os pesadelos dos torcedores gremistas. William é um jogador de área de pouca habilidade e já mostrou, nas cinco partidas em que substituiu Borges (lesionado), que não tem condições de compor nem mesmo o banco de um time como o Grêmio. A jovem revelação, Mithyuê, tem entrado em seu lugar nos últimos 20 a 30 minutos e jogado muito mais que o pesado camisa 9. Silas, contudo, insiste em não concordar e deverá manter seu protegido até o retorno de Borges.

Exatamente por isso, a notícia de que o Grêmio é a equipe brasileira de melhor aproveitamento na temporada é extremamente perigosa. Pode levar o técnico Silas a acreditar que as coisas estão boas como estão e que ele poderá manter suas proteções e convições, pois os resultados estão vindo.

É preciso que alguém de dentro do clube diga a Silas que com o Inter de 2009 foi assim também. Até o início do Brasileirão o Internacional tinha o melhor aproveitamento no Brasil e mesmo assim não conquistou nada além do estadual. Exatamente o campeonato que distorce a realidade pelo baixo nível da maioria das equipes do interior gaúcho.

É impossível comparar, por exemplo, o aproveitamento do Grêmio (que enfrentou apenas o Inter como time de Série A e perdeu) com o do Santos que já bateu de frente com SPFC, Corinthians, Palmeiras e outros paulistas de qualidade. Cabe lembrar, por exemplo, que o Votoraty (time que deu extremo trabalho ao Tricolor no jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil) integra apenas a Série A2 do Paulistão.

Infelizmente, esta é a mais pura realidade.

Silas me fez morder a língua março 18, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Apesar da vitória do Grêmio, por 1 a 0, ontem em Votorantim pela Copa do Brasil, continuo afirmando que era obrigação do Tricolor ter vencido o confronto contra o Votoraty por 2 gols de diferença para ter evitado o jogo de volta no dia 1º, em Porto Alegre. Na verdade vencer por apenas um gol, com uma defesa espetacular do Victor, tem, apesar do que possa argumentar Luiz Onofre Meira, sabor de derrota.

Sim, as diferenças entre as equipes são abissais. Em tamanho de clube, em folha de pagamento, em qualidade de plantel, não há parâmetros de comparação. Os times de Grêmio e Votoraty só se equiparam por causa do treinador gremista.

Silas, com sua teimosia, insiste com Ferdinando e William. Dois jogadores que, apesar de terem sido fundamentais no Avaí que o treinador comandava desde a subida para a série A, simplesmente não tem condições de defender um clube do porte do Grêmio. William não fez absolutamente nada. Ainda assim, Silas o mantém como substituto do principal jogador da equipe Tricolor, o centroavante Borges.

Repito mil vezes, como já fiz em outros posts, que o jovem meia atacante Mithyuê pode compor um 4-5-1, com variações ofensivas para um 4-4-2, muito mais efetivo que o esquema posto em prática com o ex jogador do Avaí. Mesmo assim, Silas só lembrou de colocar Mithyuê faltando poucos minutos pro final.

E o pior é que, se não bastasse Ferdinando compondo o meio, agora Silas já anunciou que Rochemback vem aí, voltando de lesão. Ou seja, além de manter Ferdinando, vai sacar Adilson para recolocar Fábio Rochemback. Já não entendo mais que tipo de leitura de jogo faz o treinador gremista. Com certeza não é a mesma que a maioria dos gremistas com quem converso.

Infelizmente, tudo indica que o Grêmio só se livrará de Silas quando o barco afundar na Copa do Brasil. O que, para quem viu o jogo ontem, é bem provável que ocorra assim que o clube enfrentar um adversário de Série A, talvez até B. Lamentável.

Silas precisa mudar o meio campo março 8, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Após a magra vitória do Grêmio por 1 a 0, com péssima atuação, sobre um dos times de pior campanha no Gauchão 2010, o Porto Alegre, em pleno estádio Olímpico, o técnico Silas começa (na minha opinião tardiamente) a sofrer pressão interna (e superior) para acabar com certos protecionismos e melhorar definitivamente o setor central da equipe. O próprio presidente Duda Kroeff, falando como torcedor em entrevista ao final da partida, destacou que, na sua opinião, seria preciso melhorar algo no meio campo.

Para quem vem acompanhando o Tricolor neste início de temporada fica claro que o maior problema do Grêmio 2010 está na dupla de volantes escolhida por Silas para compor o setor. Ferdinando tem sérios problemas de base. Segundo o site do jornal Zero Hora, o atual primeiro volante do time de Silas não era jogador profissional até os 21 anos. Ganhava a vida como vendedor ambulante, pedreiro ou trabalhando na roça e não passou por trabalho de base em nenhum clube. Willian Magrão, mesmo ainda sem o ritmo de antes da lesão, pode ocupar a primeira função do meio campo com muito mais qualidade.

Mas além de Ferdinando, Adilson como segundo volante também é melhor que Rochemback.  Enfim, o setor que deveria dar sustentação ao meio campo, desarmando e passando a bola com efetividade e precisão para os meia-atacantes desenvolverem as jogadas, não funciona. Além de não desarmarem eficientemente, quando conseguem o desarme nenhum dos dois consegue acertar mais de 3 a cada 10 passes tentados. Uma ineficiência visível para qualquer um que acompanhe o time do Grêmio. Como frisei em outro post: Só Silas não enxerga!

Enfim, parece que tudo que eu já havia destacado sobre o setor, há pelo menos duas partidas, está vindo à tona e começa a pressionar o técnico Silas para mudar o meio e acabar com os protecionismos descabidos, como o de Ferdinando, ex-Avaí e religioso, como o treinador.

Invencibilidade

Apesar das cobranças, o técnico fez questão de tentar desviar a atenção destacando a invencibilidade de 47 jogos do Grêmio no estádio Olímpico (com a vitória, o Tricolor ultrapassou o recorde anterior, de 46 jogos sem perder em casa, que pertencia ao Inter). O que na verdade Silas não percebe é que sua participação nesta façanha é mínima. Não poderia nem mesmo usá-la para rebater as críticas acerca de um jogo medíocre.

Desde que começou a treinar o Grêmio, o técnico não enfrentou, no Olímpico, nenhum time de primeira ou mesmo segunda linha do futebol brasileiro. O clube mais tradicional que o Tricolor enfrentou em casa foi o Caxias, que encontra-se na Série C do Brasileirão. Não houve enfrentamento nem mesmo com clubes da Série B dentro do Olímpico sob o comando de Silas. Ou seja, a manutenção da invencibilidade até agora, dada a qualidade e folha de pagamento das equipes adversárias, não é mais que uma obrigação do comandante.

Só Silas não enxerga! março 4, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
1 comment so far

Talvez eu morda a língua e o técnico gremista me contrarie no sábado quando o Grêmio enfrentar, no estádio Olímpico, o Porto Alegre. Mas infelizmente tudo indica que Silas insistirá com Ferdinando, como titular. Além do volante, o atacante William, outro ex-Avaí, assusta os torcedores como substituto de Borges, lesionado.

O problema é que Silas não pretende abrir mão nem de um nem de outro. O primeiro, é titular absoluto do bom pastor. Isto apesar das visíveis (exceto para o treinador) limitações técnicas do jogador e um futebol nitidamente inferior ao de Willian Magrão, Adilson e Fernando.

Agora, não bastasse o torcedor ter que ver os três jovens que menciono acima na reserva para o excelentissimo senhor Ferdinando atuar como titular, o técnico Silas insistirá na substituição de Borges por William. Pelo que vi contra o Novo Hamburgo, no final de semana, e ontem contra o Santa Cruz, não tem como dar certo.

Que me perdoem os otimistas. O futebol do rapaz pode até ser bom para padrões do Avaí, mas não serve para o Grêmio. Infelizmente, Leandro, o atacante que poderia, com qualidade, fazer dupla com Jonas, também está lesionado e deverá voltar ainda depois de Borges.

Minha idéia seria. portanto, colocar o Tricolor em um 4-5-1 (eu já havia escrito isso logo após a lesão do camisa nove e vejo, agora, que é a mesma sugestão de Wianey Carlet e, com pequenas diferenças, a de Luiz Zini Pires).

Assim, o técnico promoveria a entrada do meia atacante Mithyuê, deixando Jonas como o homem mais agudo do ataque e revezando Douglas, Hugo e Mithyuê na segunda função do ataque.

Com Borges voltando, ainda seria preciso avaliar se quem sai é Jonas ou Miyhyuê, pois tenho a impressão que dando ritmo ao jovem atleta, este pode ser muito mais útil como segundo atacante que o (na minha opinião) limitado Jonas, por mais gols que este esteja marcando. Mas parece que Silas não enxerga assim!

As surpresas do misto do Grêmio março 4, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

O Grêmio venceu o Avenida em Santa Cruz, ontem à noite, pela abertura da Taça Fábio Koff (segundo turno do Gauchão) por 3 a 1 e mostrou algumas boas surpresas do time misto colocado em campo pelo técnico Silas.

O primeiro deles foi o lateral estreante, Edilson, que não apenas marcou o dele mas também deu um passe na medida para Jonas marcar o terceiro.

Rodrigo, o zagueiro, apesar de falta de entrosamento, mostrou que pode ser um bom reforço para a zaga gremista que, depois da saída de Réver, ainda procura seu xerifão.

Mário Fernandes provou que joga mais feliz na zaga que na lateral e, com entrosamento, pode sem dúvida alguma compor a zaga titular com Rodrigo, ou Rafael Marques.

Com relação aos volantes, espero que Silas tenha percebido que, com ritmo de jogo, Willian Magrão (ou Fernando) e Adilson são muito melhores que Ferdinando e Rochemback. Mas continuo apostando que o “bom pastor” manterá pelo menos o Ferdinando que ontem só não jogou porque estava suspenso.

Na frente, William é pesado, trombador, sem habilidade e não apareceu pra nada ontem. Reitero minha idéia do Grêmio atuar no 4-5-1 até que Borges retorne da lesão muscular que sofreu contra o Novo Hamburgo, afinal o reserva imediato da posição não parece ser amigo da bola como precisa para estar no Grêmio.

E, apesar do gol marcado, continuo com minhas restrições ao atacante Jonas. Na minha opinião, o atacante só marca porque o time cria bastante, pois ele continua sendo o campeão de perder lances e não tem um jogo bonito. Posso estar errado em minha visão, mas para mim sempre parece que a bola está prestes a morder o jogador.

Enfim, foi uma noite para descobrir alguns jogadores que podem ser muito úteis na corrida do Grêmio rumo ao Penta da Copa do Brasil que reinicia no dia 17, contra o Votoraty de São Paulo.

Os problemas do Grêmio março 1, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
2 comments

Apesar da conquista do título da Taça Fernando Carvalho (primeiro turno do Campeonato Gaúcho), o Grêmio segue sendo alvo de muitas críticas por parte da imprensa e setores da torcida.

Concordo com algumas destas críticas, mas não posso concordar com o pessimismo total de Wianey Carlet que, em sua coluna de ontem no blog, detona com toda e qualquer evolução que o time possa ter apresentado nos dois meses iniciais da temporada.

É óbvio que não há como mostrar evolução perdendo QUATRO de seus jogadores considerados titulares. Ainda no primeiro tempo o centroavante Borges, referência do ataque, saiu com lesão muscular e deve desfalcar o time nos próximos jogos.

Antes da partida contra o Novo Hamburgo, o Grêmio já tinha perdido nada menos que Souza, Lúcio e Leandro. É impossível, para qualquer um que conheça futebol, repor estas peças sem perder ao menos um pouco da qualidade que o time tinha com eles em campo.

Abaixo, entretanto, listo os problemas que afligem o torcedor Tricolor neste início de temporada.

Defesa que não desarma

Como falei acima, concordo plenamente que algumas das opções do treinador precisam ser repensadas urgentemente. Ferdinando não pode ser absolvido da precária condição técnica, que na minha opinião não o habilita nem mesmo ao banco gremista, por causa de um gol de falta. Ainda que este seja o gol do título.

A entrada de Magrão (ou Fernando) e Adilson neste meio de campo em substituição aos atuais dois volantes titulares (Ferdinando e Rochemback) deveria ser a prioridade máxima do técnico Silas.

Infelizmente, duvido muito que tais alterações sejam postas em prática, afinal, o limitado volante trazido do Avaí é da mais alta confiança do treinador. Talvez Adilson recupere o posto de Fábio Rochemback, mas o pior de todos deverá permanecer.

A defesa talvez melhore com uma melhor proteção dos meias defensivos, mas por enquanto representa risco constante.

Do meio pra frente as lesões incomodam

Com relação aos meia atacantes, creio que as melhores opções com as ausências de Souza e Leandro sejam mesmo Douglas e Hugo (talvez com Maylson em jogos que demandem mais marcação por parte do meio campo).

No ataque, na minha humilde opinião, outro problema. Por mais que os gols tenham saído recentemente, não vejo em Jonas as soluções para a segunda função do ataque. O atacante é limitado tecnicamente, erra muitos passes e continua perdendo inúmeros lances de ataque, ainda que compense com alguns gols, oriundos acima de tudo da garra de sempre.

Ainda no ataque, a grande perda do domingo foi o goleador Borges. William é um reserva esforçado, mas de características bem diferentes daquelas do ex-são paulino. É mais trombador e de posicionamento, mas tem muito menos velocidade e técnica. Os gols de Borges com certeza farão falta enquanto ele estiver fora.

Talvez, durante o período de recuperação do camisa 9 titular, seja melhor o técnico Silas optar por mais um jogador de meia cancha que possa se juntar ao ataque (Mithyuê pode ser boa opção), ao invés de lançar mão do ex-centroavante do Avaí.

Seria um 4-5-1 com meias que podem perfeitamente se revezar na segunda função do ataque (Hugo, Douglas e Mithyuê). Quando estiverem novamente na ponta dos cascos, prefiro mil vezes um ataque com Leandro e Borges que o atual, formado com Jonas. Ainda que muitos me considerem louco por criticar o atual camisa 7.

A casamata Tricolor

Aqui reside minha principal crítica ao Grêmio 2010. Não considero ruins as idéias de Silas a respeito de futebol e estruturação tática. Contudo, certos protecionismos, visíveis na equipe Tricolor atual, como o do volante Ferdinando, podem dar a entender que o técnico Silas está deixando sua religião ou bondade atrapalhar seu profissionalismo.

Entendo que o treinador seja eternamente grato pela dedicação de Ferdinando, que provavelmente seja da mesma igreja que o comandante, na boa campanha do Avaí no Brasileirão 2009. Mas Silas não pode querer retribuir, como um bom pastor, dando agora oportunidade no Grêmio para um jogador que, tecnicamente, não serve nem para o banco no atual grupo gremista.

É o primeiro grande problema do ano para a direção Tricolor enfrentar. Meira, Duda e sua turma não podem deixar que pratas da casa de qualidade como Fernando, Willian Magrão e Adilson, esquentem o banco para o fraco Ferdinando.

É preciso tomar alguma atitude já, antes que o Grêmio pague o preço caro de uma eliminação na Copa do Brasil, por conta da gratidão de Silas com o volante.

O esboço do Grêmio para 2010 janeiro 11, 2010

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

O Gêmio realizou o primeiro coletivo da temporada 2010 com boas indicações do que virá a ser a equipe titular do clube para a disputa da Copa do Brasil. O técnico Silas começa o ano indicando um 4-4-2 tradicional com dois volantes, dois meias e dois atacantes. Borges foi o destaque no ataque Tricolor.

A formação titular teve alguns revezamentos, mas tudo indica que o time do Grêmio para o início do Gauchão e Copa do Brasil seja: Victor, Mário Fernandes, Maurício (Rafa Marques), Réver e Fábio Santos; Ferdinando (Túlio), Adilson (Rochemback), Hugo e Souza; Leandro e Borges.

O Tricolor segue na busca de um lateral direito e, talvez, um meia. Silas deverá contar ainda com um banco de qualidade, pois além dos que estão entre parenteses acima, na reserva, o Grêmio 2010 contará com Jonas, Maylson, Mithyuê, Willian Magrão e Lúcio.

Possivelmente a vinda de um bom lateral direito e a concretização da especulação acerca do empréstimo de Douglas (ex-Corinthians) podem incendiar a disputa por uma vaga em dois setores no Grêmio 2010.

A zaga, com o retorno de Mário Fernandes para a função de origem pela contratação de um lateral de ofício, ficaria com 4 bons zagueiros (Réver, Maurício, Rafa Marques e o próprio Mário) brigando por duas vagas.

No meio, repito, caso concretizem o empréstimo de Douglas, Silas teria de optar por deixar um dos três (Hugo, Souza e Douglas) de fora, acirrando ainda mais a disputa que tem hoje apenas os jovens Mithyuê e Maylson.

O Grenal 374 fevereiro 7, 2009

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Um dos clássicos de maior rivalidade no futebol brasileiro, o Grenal tem seu charme próprio e inconfundível. Independente do campeonato em que ele ocorra. É o caso do Grenal 374, neste domingo, válido pela quinta rodada do Gauchão 2009.

O Grêmio, que no meio da semana apostou na juventude de seus reservas para encarar o VEC (além do árbitro Vinícius Costa)  e perdeu, precisa de um único resultado: a vitória. Com a ausência de Herrera no clássico,o mais provável é que Celso Roth opte por começar a partida no 3-6-1 com dois volantes, Diogo e Willian Magrão, dando mais liberdade para Tcheco e Souza aproximarem-se de Alex Mineiro no comando do ataque.

O campo neutro de Erechim é algo que só acrescenta grandeza ao clássico. Afinal de contas, é uma grande oportunidade de vermos novamente um estádio pintado, igualmente, de azul e vermelho. Sim, pois se o Grenal 374 fosse em Porto Alegre, teriamos, outra vez, um clássico de uma torcida apenas. Viva o interior.

O 3-6-1 do Grêmio: Carrossel Azul fevereiro 1, 2009

Posted by eduardotrindade in Futebol.
Tags: , , , , , , , , , ,
2 comments

A vitória do Grêmio sobre o Novo Hamburgo, por 5 a 1, reforça a excelente campanha Tricolor no Campeonato Gaúcho 2009 e embala o time para o Grenal 374. Tudo bem que o time do Vale dos Sinos pouco fez durante a partida, mas a forma como jogaram Souza, Tcheco e Willian Magrão se aproximando do atacante, no 3-6-1 de Celso Roth, deu a idéia de um carrossel. 

É verdade que Jonas, como único avante de ofício, poderia ter rendido mais. Mas como este possivelmente seja reserva, com a entrada de Alex Mineiro e Herrera, não chega a preocupar. Já Souza e Tcheco demonstraram, mais uma vez, que precisam jogar juntos, sempre. Entrosados, os dois tem tudo pra ser a melhor dupla de meias do futebol nacional. Souza foi novamente o destaque da partida e Tcheco marcou duas vezes em assistências suas. Os dois meias são os artilheiros do Gauchão 2009.

Com a vitória expressiva em Novo Hamburgo, o Grêmio chega a 7 pontos na tabela e assume a liderança do grupo. Mesmo com um jogo a menos, já que o jogo contra o Brasil de Pelotas foi adiado em virtude do acidente com o ônibus que levava a delegação do Xavante

Espero, contudo, que Celso Roth pense bem sobre o que tem nas mãos e, quando puder, ponha seus dois novos atacantes em campo juntos: Alex Mineiro e Herrera. O problema é que não vale a pena deslocar o Tcheco para a segunda função do meio campo, pois nesta função ele perde muito rendimento. Só que para não fazer isso, é preciso que o Roth mantenha Diogo e Willian Magrão, tirando Rafael Marques. Mudando, portanto, para o tradicional 4-4-2.

O Grêmio ideal, hoje, seria: Victor, Ruy, Leo, Réver e Jadilson, Diogo, Willian Magrão, Tcheco e Souza, Alex Mineiro e Herrera. De qualquer maneira, apesar do meu desejo de ver tal formação no Grêmio da Libertadores 2009, acho mesmo muito difícil que o técnico gremista abra mão de suas convicções acerca dos três zagueiros. E você torcedor Tricolor, o que acha sobre a formação ideal para o time?